PUBLICIDADE

Apesar de não removíveis, cicatrizes podem ser amenizadas

21 jan 2014 07h17
| atualizado em 25/2/2014 às 12h09
ver comentários
Publicidade

Deixadas na pele após um acidente ou uma cirurgia, as cicatrizes, ao contrário do que se imagina, não podem ser removidas, apenas amenizadas com tratamentos personalizados indicados por um especialista. Laser, aplicação de nitrogênio líquido e cremes estão na lista das técnicas usadas para deixar as marcas mais discretas.

Com o passar do tempo, devido ao processo natural de renovação da pele, muitas ficam mais claras, mas não desaparecem até mesmo porque cada área do corpo apresenta um padrão de cicatrização distinto. “Sempre quando realizamos o tratamento de uma cicatriz temos de lidar com as expectativas do paciente porque, em geral, o tratamento é difícil”, diz Marcelo Bellini (CRM 76.313 – SP), dermatologista e membro Academia Americana de Dermatologia. Acompanhe, a seguir, mitos e verdades sobre o tratamento das marcas.

Todas as cicatrizes são iguais.
Mito. Elas são divididas em relação à cor, podendo ser mais claras, mais escuras ou do tom da pele, além de finas ou largas. Também são classificadas pelos especialistas pela posição cutânea: deprimida (abaixo do plano da pele), alta (do tamanho do corte ou mais alta – grupo em que a queloide se encaixa) e no plano da pele.

Tratar a cicatriz logo após seu surgimento não favorece a melhora.
Mito. Inicialmente, logo depois de ocorrer o machucado ou a cirurgia, os cremes e as faixas de silicone têm um efeito preventivo e ajudam no processo final de cicatrização. Vale lembrar que o padrão para esse processo tende a se definir em dois ou três meses após a agressão, a partir daí o resultado do tratamento é indiferente em relação ao tempo.

A recuperação é igual em todos os tipos de pele.
Mito. “A pele negra e a oriental têm um padrão de cicatrização diferente da pele clara, pois nelas há maior chance de aparecimento de cicatrizes inestéticas”, comenta o especialista.

Lasers são capazes de atenuar cicatrizes.
Verdade. Eles melhoram a coloração, sendo mais eficientes nas marcas mais fundas. Nas cicatrizes altas indica-se a injeção de corticoide, que ajuda na redução da altura, já nas queloides é preciso fazer uma retirada cirúrgica para transformar a cicatriz larga em fina, enquanto nas mais estreitas recomenda-se a aplicação de nitrogênio líquido.

Cremes também podem disfarçar as marcas.
Verdade. Fórmulas com ácido retinoico, óleo de rosa mosqueta, óleo de maracujá, blend de antioxidantes e ácido glicólico estimulam a produção de colágeno, o que tende a melhorar as cicatrizes deprimidas e também as finas e altas.

PURA VERDADE
Classificadas de acordo com sua posição e aparência, as cicatrizes ficam mais claras devido ao processo de recuperação da pele, mas não desaparecem. Para atenuar o problema estético, podem ser aplicados lasers, nitrogênio líquido e cremes sobre as marcas. Você tem cicatriz? Conte nos comentários de que maneira você a disfarça.

Publicidade
Publicidade