1 evento ao vivo

Depilação diária com lâmina causa danos à pele das axilas

28 ago 2013
07h19
atualizado às 09h33
  • separator
  • 0
  • comentários

Alvo de grande parte das críticas femininas, os pelos das axilas são ferrenhamente combatidos em nome da boa aparência. Prova disso é que um estudo, realizado nos Estados Unidos pela empresa de pesquisa TNS, apontou que 80% das mulheres entrevistadas removem os fios do local com frequência e que 11% desse total realiza a depilação da área todos os dias. Essa prática, no entanto, pode causar sérios danos à região por retirar a camada que protege a derme da ação de agentes externos, como o sol, o frio e a poluição.

Depilação das axilas feita com lâmina deixa pele mais sensível e propensa a inflamações
Depilação das axilas feita com lâmina deixa pele mais sensível e propensa a inflamações
Foto: Shutterstock

Por isso, na hora de deixar a cútis lisinha, vale a pena lembrar que a adesão a esse tipo de método depilatório deve ser feita com bastante cautela, de acordo com o ritmo de crescimento do pelo, para evitar o surgimento de inflamações e infecções. “Ao arrastar a lâmina sobre a cútis, ocorre um acúmulo de células que causam a obstrução dos poros, além do risco de o fio voltar para dentro do folículo e se alojar debaixo da pele”, explica Valcenir Bedin, dermatologista e diretor do Centro Integrado de Prevenção do Envelhecimento (CIPE).

Ainda assim, se a depilação mecânica for frequente, ela deve ser feita somente durante ou após o banho, com a ajuda de um creme ou espuma de barbear, capaz de amolecer os pelos e facilitar sua remoção. Além disso, é importante manter a região sempre hidratada para recuperar a proteção perdida, assim como esfoliar o local para estimular sua renovação celular.

Durante o processo, caso haja cortes, o cuidado deve ser imediato para prevenir maiores problemas. “Quem opta por esse tipo de técnica de remoção deve ter um creme antibiótico sempre à mão. O ideal é passar antes de inflamar ou infeccionar”, indica.

Opte por melhores soluções
Devido ao fato de eliminar até 36% de camada de pele e deixar a área depilada bastante sensível, a utilização da lâmina, ainda mais diariamente, não é o melhor caminho para ficar livre dos pelos e com a cútis lisinha, macia e saudável. Para isso, a opção mais indicada continua sendo o laser, pois o procedimento não agride tanto quanto as outras técnicas e tende a eliminar os pelos gradativamente, no decorrer das sessões. Outra opção, um pouco mais acessível, é a cera quente. “Além de abrir os poros e facilitar a saída do fio, o calor provocado pelo produto exerce uma função anti-inflamatória”, ressalta o especialista.

Fonte: Agência Hélice Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade