2 eventos ao vivo

Stand Up Paddle e ioga na prancha viram 'febre'; veja esportes ao ar livre

Conheça 13 modalidades ideais para o verão e saiba quantas calorias cada atividade elimina

27 jan 2014
07h36
atualizado em 8/12/2014 às 19h03
  • separator
  • comentários

Com o verão, as praias brasileiras ficam superlotadas de atletas, alguns de primeira viagem e outros que saem das academias para respirarem um pouco mais de ar puro. Uma modalidade especificamente tem virado febre no litoral e até nas redes sociais: o Stand Up Paddle (SUP). Depois dela, a ioga na mesma prancha também ganha cada vez mais fãs.

Surgida no Havaí no início do século 20, quando os nativos usavam estruturas de madeira para irem de uma praia à outra, a prática de Stand Up Paddle chegou ao Brasil em 2005. Já neste ano, ela conquistou uma legião de fãs, especialmente famosos. Uma mistura entre equilíbrio, força e relaxamento, uma hora da atividade pode queimar entre 400 e 600 calorias e é válida para todas as idades.

Exercício na água tem mais benefícios

Uma pesquisa inglesa da Universidade de Essex concluiu que apenas cinco minutos de atividades ao ar livre em um ambiente próximo à natureza são suficientes para melhorar a saúde mental das pessoas, especialmente os jovens. Os benefícios são ainda maiores e percebidos mais rapidamente quando feitos próximos à água.

Depois de avaliarem mais de 1.250 adultos por cerca de 10 anos, descobriram considerával melhora na auto-estima e no humor. “As atividades geralmente feitas em parques com muitas árvores e lagos focam ainda mais no exercício como fonte anti-estresse”, explica o personal trainer de Curitiba, Lucas Luciano.

O sucesso nos mares foi tanto que ganhou uma adaptação que tem chamado a atenção, a Stand Up Paddle Ioga. Isso mesmo: movimentos da ioga, que para muitos parecem impossíveis até em terra firme, são realizados em cima da prancha em alto-mar ou rios - o que exige ainda mais equilíbrio, já que além das posturas normais é preciso lidar também com o balanço da água.  “A Supyoga tem os mesmos benefícios do SUP e ioga combinados. Trabalha concentração, flexibilidade, força e equilíbrio como um todo proporcionando saúde e bem-estar”, explica a professora Pati Pimentel, paulista que tem conquistado o Rio de Janeiro com a modalidade e co-fundadora da escola Soul Yoga Flow.

Além destas duas modalidades, outros exercícios são os responsáveis por tirar famosos e anônimos de casa em dias quentes e ensolarados de verão para cuidar da saúde. O Terra listou alguns deles e levantou os benefícios e gasto calórico de cada um. Confira:

<p>Até a socialite Val Marchiori aderiu ao Stand Up Paddle</p>
Até a socialite Val Marchiori aderiu ao Stand Up Paddle
Foto: Instagram / Reprodução

Stand Up Paddle
A prática trabalha todos os grupos musculares: membros superiores, inferiores e abdômen. “A maior dificuldade é pegar o equilíbrio inicial. Mas depois não tem mais mistério, é muito semelhante a começar a andar de bicicleta”, explica o professor de educação física Andrey Marques, responsável pela SUP RIO, a primeira escola da modalidade da praia de Ipanema.

Segundo ele, é preciso ter autorização médica para participar, porque exige força, mas pode ser feito por todas as idades: eles têm alunos entre sete e 65 anos. Quando estiver na água, o professor alerta a sempre manter a coluna ereta, ter companhia quando for para mar aberto e usar colete salva-vidas, além de saber nadar.
Gasto calórico: entre 400 e 600 calorias em uma hora de exercício

<p>Carolina Dieckmann se aventurou no Stand Up Paddle Yoga</p>
Carolina Dieckmann se aventurou no Stand Up Paddle Yoga
Foto: Instagram / Reprodução

Stand Up Paddle Yoga
A modalidade surgiu nos Estados Unidos há cerca de cinco anos, mas ganhou popularidade por meio de uma sueca e tem feito sucesso no Brasil há poucos meses. “Não se sabe ao certo quem foi o primeiro a tratar a prancha de Stand Up Paddle como se fosse um tapete de ioga, mas sabemos que deu certo”, conta Pati Pimentel, cofundadora da escola Soul Yoga Flow.

Ela explica que qualquer pessoa pode fazer, com exceção das mulheres grávidas, que ficam com o senso de equilíbrio alterado durante a gestação. O ideal é que as pessoas saibam nadar, mas coletes salva-vidas também podem ser usados.

Mesmo quem não pratica a ioga convencional, é bem-vindo na aula, que tem uma espécie de aquecimento em terra firme para que as posições mais simples sejam praticadas. "A maior dificuldade no inicio é se equilibrar na prancha, já que a superfície é totalmente instável. A atenção e o esforço são dobrados”, afirma a professora, que garante que é possível acertar as posturas já na primeira aula.
Gasto calórico: até 500 calorias por hora

<p>Fernanda Souza é adepta do treinamento funcional</p>
Fernanda Souza é adepta do treinamento funcional
Foto: Instagram / Reprodução

Treinamento funcional
A atriz Fernanda Souza é uma das maiores adeptas do exercício nas praias cariocas. A prática, que une diversos tipos de atividades físicas, usa instrumentos para aumentar o esforço físico como bolas e tiras elásticas. Segundo a personal trainer Sara Diniz, da DZ Treinamento, entre os benefícios, estão: aumento do controle corporal, melhoria da postura e da eficiência dos movimentos, melhoria do equilíbrio muscular, do desempenho atlético, do equilíbrio, da força, da coordenação motora, da resistência cardiovascular e muscular e da flexibilidade, além da diminuição da incidência de lesão.
Gasto calórico: pode chegar a 800 calorias por hora de atividade

Ioga
Além da nova variação de se praticar ioga em cima da prancha, a modalidade original também tem ganhado os parques e praias em busca de maior contato com a natureza. Sem contraindicações, a atividade aumenta a capacidade de concentração, além da flexibilidade, respiração e tonificação muscular.
Gasto calórico: cerca de 400 calorias por hora

<p>Gisele Bündchen pratica slackline</p>
Gisele Bündchen pratica slackline
Foto: Facebook / Reprodução

Slackline
A prática de se equilibrar em cima de uma fita e cruzá-la de um lado ao outro surgiu na Califórnia e foi criada por escaladores que, quando não tinham como subir as montanhas, treinavam equilíbrio e força nas correntes de estacionamentos. Segundo Rogerio Tozzi, professor da escola Dragon Slackline, no Rio de Janeiro, a atividade trabalha diversos coxas, ombros, além dos músculos que sustentam a coluna vertebral e os estabilizadores das articulações dos tornozelos, joelhos, quadris e colunas. No entanto, a maior ênfase do exercício está na força e definição dos músculos abdominais. Os benefícios psicológicos também são diversos, como aumento da concentração, persistência, equilíbrio do medo e sociabilização. “Você esquece o resto do mundo e foca apenas em ficar se equilibrando, a sensação após algumas hora de pratica é de corpo e mente equilibrados e relaxados”, explica Rogerio.

Para os iniciantes, é preciso ter cuidado com os tombos causados pelo desequilíbrio, além da estrutura em que a fita está fixa e é recomendado que pessoas com osteoporose, problemas musculares e gestantes redobrem a atenção. No entanto, a prática é liberada para todas as idades, aliás, Rogerio tem um aluno de 78 anos.

Tem algumas variações: trickline (manobras na fita), longline (equilíbrio em uma fita montada com cerca de 20 ou 30 metros de comprimento), highline (praticado em uma fita acima de cinco metros de altura).
Gasto calórico: cerca de 500 calorias por hora, de acordo com o Dr. Jomar de Souza, especialista em medicina do exercício e do esporte

<p>A atriz Carla Marins pratica corrida na praia</p>
A atriz Carla Marins pratica corrida na praia
Foto: AgNews

Corrida
A corrida é uma atividade democrática que não exige acompanhamento de um profissional de educação física e pode ser feita no local escolhido pelo praticante. Além de parques e praças, corridas na areia exigem ainda mais força dos músculos corporais e fôlego. A atividade melhora a capacidade respiratória, ajuda no emagrecimento, diminui taxas de colesterol e glicose. É contraindicada para pessoas com lesões nos tornozelos e joelhos, por exemplo, segundo explica a personal trainer Sara Diniz, da DZ Treinamento.
Gasto calórico: em média, até 800 calorias por hora

Caminhada
A caminhada pode ser mais apropriada para pessoas com excesso de peso e pacientes com lesões. No entanto, também é preciso procurar um médico antes de praticar a atividade, conforme explica a personal trainer Sara Diniz, da DZ Treinamento. Entre os benefícios, estão: aumento da capacidade respiratória, ajuda na perda de peso e tonificação muscular.
Gasto calórico: em média, 400 calorias por hora

<p>Fernanda Freitas anda de bicileta na orla da praia</p>
Fernanda Freitas anda de bicileta na orla da praia
Foto: AgNews

Ciclismo
Como exercício aeróbico, a bicicleta é uma opção para quem deseja menos impacto do que na caminhada e corrida. “É uma atividade melhor para quem tem algum problema de coluna lombar”, explica o Dr. José Kawazoe Lazzoli, especialista em Medicina do Esporte, membro da Diretoria da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE) e membro da Diretoria da Federação Internacional de Medicina do Esporte (FIME). Pessoas com epilepsia ou alguma doença cardiovascular pela qual tenha tonturas e desequilíbrios devem evitar o esporte.  Capacetes e outras proteções também são obrigatórias.

Gasto calórico: média de 700 calorias por hora

<p>O ator Jonatas Faro aposta no skate</p>
O ator Jonatas Faro aposta no skate
Foto: AgNews

Skate
A prática é uma opção para melhorar o equilíbrio e coordenação motora. É contraindicada para quem tem problemas de osteoporose, devido aos riscos de quedas e lesões. Segundo o Dr. Jomar Souza, especialista em Medicina do Exercício e do Esporte e ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), proteções como capacetes e cotoveleiras são indispensáveis.

Gasto calórico: de 300 a 400 calorias por hora

Natação
Além da natação em piscinas convencionais, o esporte realizado no mar também é uma opção. Quem optar por ela, deve estar acostumado a treinar cerca de dois mil metros por dia nas piscinas. Pessoas com falta de condicionamento físico e doenças cardiovasculares devem evitar a modalidade e pacientes com diabetes devem ter cuidado redobrado com os níveis de insulina. Quem não tem muito preparo pode fazer as aulas em grupos, que contam com a supervisão de professores .
Gasto calórico: em média 700 calorias por hora

<p>Paulinho Vilhena praticando surfe</p>
Paulinho Vilhena praticando surfe
Foto: AgNews

Surfe
As aulas em grupos e escolas nas praias também são a melhor saída para quem quer aprender a surfar. O esporte oferece perda calórica, além de tonificação dos músculos abdominais e inferiores e melhora do equilíbrio. Pessoas com doenças cardiovasculares e diabéticos devem ter cuidado redobrado com a prática.
Gasto calórico: entre 350 e 450 calorias por hora

<p>Rodrigo Hilbert é constantemente visto em partidas de vôlei</p>
Rodrigo Hilbert é constantemente visto em partidas de vôlei
Foto: AgNews

Vôlei de Praia
Assim como nas quadras, a atividade na areia é uma ótima opção aeróbica com variação de intensidade que ajuda a queimar caloria. Aquecimento e alongamento são importantes para não sobrecarregar ainda mais joelhos e ombros, alerta o Dr. Jomar Souza.
Gasto calórico: entre 500 e 600 calorias por hora

Futvôlei
O exercício une duas modalidades aeróbicas de intenso gasto calórico e desenvolvimento muscular. Além disso, o equilíbrio é uma das habilidades desenvolvidas pelos praticantes.
Gasto calórico: entre 450 e 550 calorias por hora

Cuidados antes dos exercícios

Atenção à hidratação . Além do consumo dos dois litros de água diários recomendados pelos médicos, isotônicos também devem fazer parte do plano para as pessoas que suam demais. “De 300 a 500ml antes do início da atividade e mais 200ml para cada 30 minutos de exercícios”, explica o Dr. Jomar Souza, especialista em Medicina do Exercício e do Esporte e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE).

Além da garrafa de água, o kit básico inclui ainda protetores solares de fatores altos, boné, óculos escuros, roupas leves e claras.

Caso o sol esteja forte demais e a temperatura muito elevada, o ideal é priorizar as atividades no início do dia e da noite ou fim de tarde. E, como no tempo, só São Pedro manda, é preciso torcer para que a chuva não atrapalhe.

&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://saude.terra.com.br/infograficos/queimar-calorias-malhacao/&amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot; href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://saude.terra.com.br/infograficos/queimar-calorias-malhacao/&amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;Queimar calorias com exerc&amp;amp;amp;amp;amp;amp;iacute;cios &amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;
Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade