PUBLICIDADE

A supermodelo que ficou 'deformada' após procedimento estético

Em publicação do Instagram, a modelo afirmou que há cinco anos vive reclusa depois que intervenção gerou efeito contrário ao desejado

23 set 2021 19h30
| atualizado às 19h35
ver comentários
Publicidade
Linda Evangelista em foto de 2009; ela se tornou famosa nos anos 1990, estrelando nas passarelas mais prestigiadas do mundo e em capas da revista Vogue
Linda Evangelista em foto de 2009; ela se tornou famosa nos anos 1990, estrelando nas passarelas mais prestigiadas do mundo e em capas da revista Vogue
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

A supermodelo canadense Linda Evangelista desabafou nesta quinta-feira (23/09) em sua conta do Instagram que há cerca de cinco anos se esconde do público porque ficou "permanentemente deformada" depois de um procedimento estético para redução de gordura.

O procedimento não cirúrgico pelo qual a modelo passou ganhou popularidade nos últimos anos e utiliza baixas temperaturas para reduzir os depósitos de gordura em algumas partes do corpo. Entretanto, em vez de a intervenção reduzir as células de gordura da modelo, ela as fez aumentar.

"Deixaram-me, como descreveu a mídia, 'irreconhecível'", escreveu a estrela dos anos 90, hoje com 56 anos, aos seus 900 mil seguidores na rede social.

"Eu desenvolvi uma hiperplasia adiposa paradoxal ou PAH (sigla em inglês), um risco do qual eu não fui alertada antes de passar pelos procedimentos. O PAH não apenas destruiu meu sustento, como me colocou em um ciclo de grande depressão, profunda tristeza, e nos níveis mais baixos de autodesprezo. Neste processo, me tornei reclusa."

Linda Evangelista afirmou que passou por duas cirurgias para tentar reverter o procedimento estético, mas estas não tiveram sucesso. Ela anunciou também ter aberto uma ação judicial contra a clínica que realizou a intervenção.

"Com esta ação judicial, estou seguindo em frente para me livrar da minha vergonha, e tornando pública a minha história. Estou tão cansada de viver assim. Eu gostaria de sair pela minha porta com a minha cabeça erguida, apesar de não aparentar mais como eu mesma."

Procurada, a clínica acusada ainda não respondeu a um pedido de posicionamento da BBC.

A modelo se tornou célebre nos anos 90, desfilando nas passarelas mais prestigiadas do mundo e aparecendo na capa de várias edições da revista Vogue.

Ele também participou de um videoclipe do músico George Michael ao lado de suas colegas Naomi Campbell, Cindy Crawford e Christy Turlington.

Da esquerda para a direita, em foto de 1989: Linda Evangelista, Naomi Campbell e Christy Turlington
Da esquerda para a direita, em foto de 1989: Linda Evangelista, Naomi Campbell e Christy Turlington
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Estrelas como Gwyneth Paltrow e a estilista Karla Welch expressaram apoio nos comentários do post de Evangelista, assim como os designers Jeremy Scott e Brandon Maxwell.

"Você é e sempre será uma supermodelo, agora adicionando um supermodelo de coragem", escreveu Scott.

Maxwell comentou: "Eu sempre te reconheci como alguém fisicamente bonita, sim, mas mais importante, você verdadeiramente brilhava de dentro. Nos seus momentos mais tenebrosos, que você nunca esqueça a luz que você irradiou para tantos, e continua."

A modelo Karen Elson também escreveu na publicação: "Doce Linda. Te amo muito, você é tão corajosa e maravilhosa."

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade