2 eventos ao vivo

Ovo pode ser consumido até 4 vezes na semana; entenda

8 mai 2014
08h00
  • separator
  • 0
  • comentários

Durante muito tempo, o ovo foi considerado um alimento prejudicial à saúde e responsável por elevar o colesterol e provocar doenças cardiovasculares. Não é verdade. “Pesquisas comprovaram que o consumo moderado do ovo, associado a uma dieta balanceada, garante a oferta de nutrientes essenciais ao organismo, principalmente das crianças”, comenta a nutricionista Elisa Maria de Figueirêdo Jatobá, do Hospital Santa Joana, em Recife (PE), que esclarece outras dúvidas sobre o alimento.

O ovo possui proteínas importantes para o organismo.
Verdade. Ele tem proteína de alto valor biológico e, ainda, conta com os seguintes nutrientes: vitamina A (importante para a pele e a visão), vitamina B6 (atua nos músculos e tecidos), vitamina B12 (fortalece o sistema nervoso), ferro (previne doenças como a anemia), cálcio e fósforo (que contribuem à formação dos ossos e dentes).

A ingestão do ovo deve ser controlada.
Em termos. “O controle serve apenas para indivíduos que apresentam níveis de colesterol elevado, alergia ao alimento ou alguma patologia que impossibilite o seu consumo”, avalia a nutricionista.

O ovo pode ser consumido dia sim, dia não.
Verdade. Crianças e adolescentes podem comer ovo até quatro vezes na semana, como prato principal ou ingrediente de outras preparações.

A gema não pode ser servida mole.
Verdade. E tampouco deve ser consumida crua. Essa orientação é importantíssima devido ao risco de infecções intestinais, provocadas pela bactéria Salmonella, presente na casca do ovo. Estão liberadas outras preparações como o ovo frito, cozido, mexido, pochê e omelete.

Comer ovo à noite pode fazer mal às crianças.
Mito. Não existe contraindicação para o horário de ingestão. Mas leve em consideração a forma de preparo e o acompanhamento, evitando o elevado consumo de gorduras, por ser de difícil digestão.

Lavar o ovo antes de armazená-lo pode ser prejudicial.
Verdade. A água é capaz de retirar a película protetora, o que aumenta a porosidade da casca e facilita a entrada de bactérias. “O correto é armazenar o ovo dentro da embalagem, na geladeira, para proteger a casca de rachaduras. Só deve ser lavado antes do preparo, especialmente se apresentar sujeiras visíveis”, ensina Elisa Maria.

Se o cozimento não for adequado, as bactérias podem sobreviver.
Verdade. “A Salmonella pode se desenvolver em temperaturas de até 50°C e causar transtornos, como febre, cólica abdominal, vômito e diarreia. O ovo leva, em média, 10 minutos para cozinhar”, observa.

Fonte: Qualitá
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade