0

Conheça os 8 erros mais comuns da alimentação infantil

18 abr 2014
08h10
  • separator
  • 0
  • comentários

Por mais cuidado que os pais tenham ao ensinar os bons hábitos alimentares às crianças e adolescentes, às vezes ocorre um descuido que pode afetar o desenvolvimento deles. Descubra quais são os erros mais comuns, o que você pode fazer para não cometê-los e ajudar seu filho a ter uma alimentação saudável.

A ingestão diária de fast food, como a pizza, não oferece todos os nutrientes necessários ao organismo
A ingestão diária de fast food, como a pizza, não oferece todos os nutrientes necessários ao organismo
Foto: Shutterstock

1 Consumir poucas fibras
É preciso ingerir a quantidade recomendada de fibras para que o organismo seja beneficiado. A porção diária deve ser de cinco gramas somadas à idade do seu filho. Por exemplo, uma criança de sete anos necessita de 12 gramas de fibras. Para você ter uma ideia, uma maçã com casca possui 3 g de fibras.

2 Comer fast food diariamente  
Por mais que seja prático, não é saudável consumir fast food todos os dias. A dupla arroz e feijão continua sendo uma importante fonte de nutrientes para o desenvolvimento saudável. “Mas se o consumo de fast food for esporádico, não traz problemas para o organismo”, pondera a nutricionista Ana Lia Bolisani Glaser, do Hospital São Vicente de Paulo, em Jundiaí.

3 Substituir a água por sucos e refrigerantes
A água é fundamental para o correto funcionamento do organismo, benefício que os sucos e os refrigerantes não trazem. Por isso, não faça essa substituição.  

4 Não impor regras
Autorizar seu filho a assistir TV ou usar aparelhos eletrônicos durante as refeições pode provocar o consumo excessivo de alimentos. “O correto é que ele se concentre no que está comendo, para se familiarizar com o aroma e textura dos alimentos”, comenta a nutricionista.

5 Oferecer guloseimas fora de hora
Comer guloseimas a qualquer hora pode trazer diversos problemas, entre eles, a falta de apetite nas principais refeições. Deixe o estoque desses produtos em locais onde a criança não possa pegar e estipule um horário para comê-las.

6 Não conversar sobre alimentação
Explicar para seu filho a importância de um determinado alimento, do prato colorido e diversificado ajuda a criar bons hábitos alimentares.

7 Não incluir alimentos fontes de ômega 3 nas refeições
Algumas doenças como o enfraquecimento do sistema imunológico são causadas pela falta de alimentos fontes de ômega 3. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, peixes são ricos em ômega 3 e devem integrar o cardápio, pelo menos, duas vezes por semana.

8 Deixar o saleiro na mesa
O excesso de sódio contribui para alguns problemas de saúde, como a hipertensão. O ideal é evitar produtos com alto teor de sódio e retirar o saleiro da mesa.

Veja também:

Fonte: Qualitá
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade