PUBLICIDADE

4 curiosidades surpreendentes sobre os gatos

Veterinária elenca fatos intrigantes e divertidos sobre os bichanos

9 nov 2021 16h06
ver comentários
Publicidade
Peso e idade estão entre os fatos curiosos sobre os gatos
Peso e idade estão entre os fatos curiosos sobre os gatos
Foto: Shutterstock / Alto Astral

Fofos, arteiros e espertos são adjetivos que descrevem perfeitamente os gatos! Esses pequenos peludos conquistaram o coração dos humanos e hoje muitos trocaram as ruas por lares com caixas de areia e brinquedos de escalar. Para celebrar os bichanos, separamos 4 curiosidades surpreendentes sobre eles em parceria com a médica veterinária Luana Sartori. Confira:

1. O cérebro dos gatos é parecido com o nosso!

Diferente dos cães, os gatos têm uma região cerebral idêntica à dos humanos. Por isso, acredite, esses felinos são mais inteligentes do que você imagina! Em razão dessa inteligência, eles avaliam como cada pessoa da família funciona individualmente e, a partir disso, estipulam um tratamento para elas. Demais, né?!

2. A raça Maine Coon pode pesar até 12 kg! 

Pequenos e levinhos? Nem sempre! A raça Maine Coon é considerada uma das maiores entre na lista doméstica. "Chamam os gatos dessa raça de 'gigantes gentis' por serem muito amorosos. Esses bichanos podem chegar a 100 cm de comprimento e 41 cm de altura!", conta Luana. 

3. 7 vidas ou 38 anos? 

A veterinária diz ser difícil afirmar quantos anos o pet viverá, pois isso depende de diversos fatores, como genética, raça e, principalmente, o ambiente onde ele vive. "Os gatinhos que moram com seus donos e recebem comida e tratamento adequados podem viver mais de 20 anos, enquanto os que vivem nas ruas costumam ter uma expectativa de vida em torno de 3 anos", estima. Mas, caso seu gato já esteja velhinho, fique calma: o Crème Puff de Austin, no Texas, comemorou 38 aniversários! 

4. Vai uma massagem aí?

Você já reparou que os bichanos amam massagear os lugares antes de deitar? Seja seu colo ou as cobertas, existem dois motivos para esse hábito: a lembrança de quando eram filhotes, uma vez que esse movimento é como o de mamar, e também para ativar as glândulas da região, marcando território — assim como o xixi dos cães, sabe?! E quanto mais fofinho o lugar, melhor para tirar aquela soneca que todo gato ama! 

Fonte: Luana Sartori, médica veterinária formada pela Universidade de Passo Fundo (UPF) e gestora técnica comercial da Nutrire. 

Alto Astral
Publicidade
Publicidade