PUBLICIDADE

Governo declara emergência fitossanitária em quatro estados devido a ação de mosca

Mosca-da-carambola é considerada ‘praga’ pelo Mapa. Declaração terá validade de um ano.

20 nov 2023 - 18h23
(atualizado às 18h37)
Compartilhar
Exibir comentários
Mosca-da-carambola
Mosca-da-carambola
Foto: Reprodução/Mapa

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) declarou na última semana emergência fitossanitária nos estados do Amapá, Amazonas, Pará e Roraima para combater a mosca-da-carambola. A declaração foi publicada no Diário Oficial e terá a validade de um ano. 

De acordo com o Mapa, a ação é relativa ao risco iminente de dispersão e os potenciais prejuízos que esta praga pode causar ao setor. A espécie bactrocera carambolae torna os frutos impróprios para o consumo humano e pode afetar outras frutas além da carambola como goiaba, acerola, tangerina, caju, pitanga, entre outras.

“O Brasil é o terceiro maior produtor de frutas do mundo e a mosca-da-carambola é a principal ameaça à manutenção dos mercados de exportação já estabelecidos e em constante expansão da fruticultura. Atualmente a praga está restrita aos estados do Amapá, Pará e Roraima”, disse o Mapa. 

Para combater a praga, o ministério informou que coordena um programa que envolve ações de combate nos estados onde ela se encontra e monitora áreas sem ocorrência. 

Situação da praga

O aumento da espécie nos estados do Pará e de Roraima. está ligada a questões adversas, segundo o Mapa, como o aumento do fluxo migratório de estrangeiros vindos de países com ocorrência da praga, do comércio interno de frutas, aliados às condições favoráveis ao estabelecimento da praga, além de dificuldades técnicas no monitoramento e na fiscalização do trânsito de hospedeiros. 

Em abril, Roraima foi colocado sob quarentena no intuito de proibir o trânsito de frutos hospedeiros para outros estados. No Pará, recentemente foram detectados novos focos da praga nos municípios de Oriximiná e Terra Santa. 

Já o estado do Amazonas, apesar de ainda se encontrar como área sem ocorrência da praga, foi incluído na condição de emergência fitossanitária em função dos focos detectados em região próxima à sua fronteira com o Pará, bem como ao elevado fluxo de viajantes e produtos provenientes de Roraima.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade