PUBLICIDADE

Lando Norris surpreende e faz a pole no GP da Rússia de F1

Nos segundos finais, Lando Norris desbanca Carlos Sainz e garante a pole. Hamilton erra no fim e é 4º. Verstappen larga de último

25 set 2021 10h48
ver comentários
Publicidade
Norris foi pole na Rússia
Norris foi pole na Rússia
Foto: F1 / Twitter

Como havia sido previsto pela meteorologia, a chuva deu as caras em Sochi hoje (25). No período da manhã, a água era tanta que o terceiro treino livre precisou ser cancelado. Ficou, então, a expectativa sobre a realização da classificação, já que o próprio diretor de corrida da FIA, Michael Masi, havia levantado a possibilidade de que a sessão fosse realizada no domingo de manhã. Mas a intensidade da chuva diminuiu, e o qualy pode ser realizado conforme o previsto. 

E a Fórmula 1 teve mais uma sessão de classificação emocionante na temporada de 2021. Com a pista secando, alguns pilotos arriscaram colocar pneus de seco nos últimos minutos – e a aposta se pagou. Lando Norris, da McLaren, cravou o melhor tempo e garantiu a primeira pole de sua carreira. Carlos Sainz, da Ferrari, foi o segundo, enquanto George Russell, da Williams, foi o terceiro. 

A Mercedes, que dominou todo o fim de semana e caminhava para um GP tranquilo, se aproveitando da punição no grid de Verstappen, viu tudo ruir no Q3. Lewis Hamilton cometeu dois erros no final da sessão e viu uma pole que parecia bem encaminhada escapar. Valtteri Bottas, outro que parecia garantido na primeira fila, foi surpreendido no final da classificação e caiu apenas para o 7º lugar. 

Hamilton lidera Q1 
Com o clima instável, os pilotos foram à pista assim que foi dado o sinal verde para o Q1. Apenas Fernando Alonso, da Alpine, optou pelos pneus de chuva intensa, enquanto todo o resto calçou os compostos intermediários. Mas logo o espanhol voltou aos boxes para seguir o restante dos competidores. Max Verstappen, da Red Bull, já sabia que largaria em último como punição pela troca de sua unidade de potência. Para evitar riscos, o holandês sequer deu uma volta rápida. 

Hamilton, que havia sido o segundo melhor nos dois treinos livres realizados até então, sempre atrás do companheiro Valtteri Bottas, foi o mais rápido do Q1. Com o tempo de 1min45s992, ele ficou apenas 0s404 à frente de Bottas. Perez finalmente conseguiu colocar seu Red Bull no bloco da frente no fim de semana e foi o terceiro.

Os eliminados foram as duplas da Alfa Romeo e da Haas, na seguinte ordem: Kimi Raikkonen, Mick Schumacher, Antonio Giovinazzi e Nikita Mazepin. Além deles, o líder do mundial Max Verstappen, sem tempo, foi eliminado na primeira parte da classificação. 

Carlos Sainz, da Ferrari
Carlos Sainz, da Ferrari
Foto: Ferrari / Twitter

Mercedes sobra no Q2 
A Mercedes continuou à frente na segunda parte da sessão. Sobrando, Hamilton e Bottas foram se revezando na liderança, reduzindo seus tempos conforme a pista foi secando. Ao fim do Q2, Hamilton ficou à frente com o tempo de 1min45s406, 0s100 mais rápido que Bottas. Alonso surpreendeu e foi o terceiro, seguido por Lando Norris e Perez. 

Assim como Verstappen, Charles Leclerc também trocou sua unidade de potência de sua Ferrari para esse fim de semana, e larga da última fila independente de seu desempenho na classificação. Para evitar riscos, ele abriu mão de fazer tempo na segunda parte da classificação. Além dele, os eliminados foram Sebastian Vettel, Pierre Gasly - ambos de forma surpreendente a julgar pelo desempenho que vinham apresentando ao longo do fim de semana -, Yuki Tsunoda e Nicholas Latifi.   

Emoção com cronômetro zerado 
Já sem chuva, a pista de Sochi começou a formar um trilho seco no traçado ideal. Os pilotos saíram ainda com pneus intermediários, mas logo George Russell pediu à Williams que colocasse pneus de pista seca em seu carro. Sem muito a perder, ele foi para o tudo ou nada. 

Com os intermediários, Hamilton fez o melhor tempo, seguido por Norris e Bottas. A 5 minutos do fim, outros pilotos seguiram Russell e colocaram os pneus macios de pista seca. Na entrada dos boxes, Hamilton protagonizou uma cena bizarra: bateu seu Mercedes no muro. A equipe conseguiu trocar o bico a tempo de mandar o inglês de volta para a pista, mas com apenas uma volta a fazer, e não duas, como a maioria dos pilotos.

Lando Norris, da McLaren.
Lando Norris, da McLaren.
Foto: Pirelli / Divulgação

Com o cronômetro zerado, a emoção começou pra valer! Hamilton e Bottas tiveram dificuldades para aquecer os pneus de seco, com Hamilton chegando a rodar. Carlos Sainz surpreendeu e fez o melhor tempo com a Ferrari, ficando próximo de marcar a primeira pole de sua carreira. 

Mas quem foi o melhor de todos foi Lando Norris, da McLaren. Com o tempo de 1min41s993, ele diminuiu em expressivos 0s517 o tempo de volta de Sainz. Depois dele, George Russell fechou a volta em terceiro. Hamilton, sem melhorar o tempo depois de rodar, ficou com um decepcionante quarto lugar. 

Decepção ainda maior teve Valtteri Bottas, o favorito à pole, que ficou atrás ainda e Daniel Ricciardo e Fernando Alonso, conseguindo apenas o sétimo lugar do grid. 

A McLaren vive uma fase iluminada. A dobradinha na última corrida marcou a primeira vitória da equipe desde 2012. Com a pole de hoje, novamente o time quebra uma marca que já durava 9 anos. Lando Norris, aos 21 anos, marca a primeira pole de sua promissora carreira. 

A largada do GP da Rússia está programada para amanhã (26) às 9 horas. A previsão é de tempo seco. Com Verstappen último do grid, Hamilton em quarto e três pilotos jovens e motivados nos três primeiros postos, a expectativa por uma boa corrida é grande. 

Foto:

 

Parabólica
Publicidade
Publicidade