PUBLICIDADE

Chefe da Red Bull F1 afirma: “GP da Rússia será um desafio”

Christian Horner vê circuito russo como uma “fortaleza” da rival Mercedes. Verstappen ainda terá punição a cumprir pela batida em Hamilton

20 set 2021 05h00
ver comentários
Publicidade
Christian Horner, chefe da Red Bull.
Christian Horner, chefe da Red Bull.
Foto: Christian Horner / Instagram

O já histórico acidente entre Lewis Hamilton e Max Verstappen no Grande Prêmio da Itália foi avaliado pelos comissários após a corrida e interpretado como de responsabilidade maior do holandês da Red Bull. Como punição, Max perderá três posições no grid de largada da próxima corrida, o GP da Rússia, a ser realizado na pista de Sochi no próximo domingo (26). 

Christian Horner, chefe da Red Bull, minimizou o problema em sua coluna no site da própria equipe: “temos uma punição no grid com o Max, mas em Sochi isso não chega a ser uma grande desvantagem por causa da força do vácuo na reta até a curva 1”. E relembra uma atuação de Verstappen na mesma pista que pode servir de inspiração. “Eu estava dando uma olhada no histórico do GP da Rússia e, em 2018, o Max foi de último para primeiro antes de precisar fazer o pit stop”.

O próprio histórico geral do GP russo, no entanto, é o que mais preocupa Horner. Realizada desde 2014, a etapa nunca teve outra equipe além da Mercedes como vencedora. Foram quatro vitórias de Hamilton, duas de Bottas e uma de Rosberg. “Tem sido uma fortaleza da Mercedes. Para mim, já tinha marcado mentalmente Monza e Sochi como circuitos da Mercedes, então será um grande desafio”. 

E, claro, não poderiam faltar menções ao acidente entre os postulantes ao título em Monza. Horner acredita que a responsabilidade tenha sido compartilhada entre ambos os pilotos. “Ainda mantenho minha opinião: os dois tiveram sua parte nisso e é difícil jogar a culpa em um lado mais que em outro. Se a FIA queria dar uma posição, poderiam ter imposto a mesma penalização para os dois pilotos.” 

Mesmo não concordando totalmente, ele demonstrou respeitar a decisão. “Se consideraram que a culpa foi mais do Max, como ele não terminou a corrida, a única opção foi dar a punição no grid da próxima, o que nós aceitamos.” 

Por fim, Horner falou sobre o acidente em si exaltou a segurança trazida pelo halo, que pode ter sido fundamental para preservar a integridade de Lewis Hamilton. “Foi uma batida estranha, mas os dois pilotos puderam instantaneamente confirmar que estavam bem. Sou muito grato que o halo tenha feito seu trabalho. Acho que até o mais barulhento dos críticos agora mudou de opinião sobre esse tema.” 

Como mencionado, a próxima etapa da Fórmula 1 será o Grande Prêmio da Rússia, que é realizado em pista montada no Parque Olímpico de Sochi. O evento acontece de 24 a 26 de setembro. 

Parabólica
Publicidade
Publicidade