PUBLICIDADE

5 vezes que pilotos da Ferrari perderam vitórias certas

Charles Leclerc errou feio no GP da França, perdendo uma vitória certa. Trouxemos outros casos parecidos com pilotos da Ferrari

25 jul 2022 - 14h51
Ver comentários
Publicidade
Carro de Leclerc após o acidente no GP da França
Carro de Leclerc após o acidente no GP da França
Foto: F1 / Divulgação

Charles Leclerc liderava o GP da França, aguentou a pressão de Max Verstappen atrás por várias voltas, mas acabou rodando e batendo, perdendo uma vitória certa. Mas erros assim já aconteceram com outros pilotos da Ferrari. Aqui contamos como isso aconteceu:

Gilles Villeneuve - Long Beach 1978

Gilles Villeneuve durante a temporada de 1978
Gilles Villeneuve durante a temporada de 1978
Foto: F1 / Twitter

O canadense é um grande ídolo da Ferrari, mas nem sempre foi assim, em 1978 ele convivia com críticas constantes, realmente mostrava muita inconstâncias e tinha tido erros grosseiros. Mas Long Beach se mostrou uma bela oportunidade para sua primeira vitória. A qualificação foi muito boa para a Ferrari, com Carlos Reutemann e P1 e Gilles Villeneuve em P2.

Villeneuve assumiu a liderança nos primeiros metros de prova e logo foi construindo uma vitória que parecia tranquila, até que na metade da prova, quando ele tentou ultrapassar um retardatário, Clay Regazzoni, de forma afobada, no meio da curva, batendo e dando adeus à vitória. Menos mal para a Ferrari que Reutemann estava em P2 e venceu a prova.

Gerhard Berger - Portugal 1987

Berger durante a temporada de 1987
Berger durante a temporada de 1987
Foto: F1 / Twitter

Berger teve várias temporadas na Ferrari, conquistando algumas vitórias. De fato, nunca foi um piloto que disputou título, mas passou por uma situação de perda de vitória por um erro bobo também. Em Estoril, Berger dominou todo o final de semana, fez a pole, volta mais rápida e vinha para a vitória, quando rodou durante a volta 68, entregando a vitória para Alain Prost. O francês conquistou sua 28° vitória, se tornando o maior vencedor da F1, ao passar Jackie Stewart.

Nigel Mansell - Japão 1990

Mansell durante a temporada de 1990
Mansell durante a temporada de 1990
Foto: Wikimedia Commons

Nigel Mansell era o segundo piloto da Ferrari em 1990, sendo engolido por Alain Prost, seu companheiro de equipe naquela temporada. O GP do Japão ficou famoso por ser quando Senna bateu com Prost na primeira curva, decidindo o campeonato a favor do brasileiro; seria uma “vingança” pelo acontecido em 1989, no mesmo local.

Com a batida, Berger (McLaren) assumiu a ponta, mas rodou logo na 2° volta, entregando a liderança para Nigel Mansell, o britânico entrou nos boxes para trocar os pneus na volta 26, na parada ocorreu tudo bem, mas o piloto arrancou de forma tão bruta que a transmissão não aguentou e quebrou, fazendo ele parar nos boxes, claramente irritado. Com isso, se deu espaço para a última dobradinha brasileira na F1, com Nelson Piquet e Roberto Moreno, pilotos da Benetton.

Michael Schumacher - Canadá 1999

Michael Schumacher após bater no GP do Canadá de 1999
Michael Schumacher após bater no GP do Canadá de 1999
Foto: F1 / Twitter

Michael Schumacher é uma lenda para a Ferrari, mas até o piloto que conquistou cinco títulos pela equipe também perdeu uma vitória certa, e essa ajudou a dar o nome para um dos muros mais famosos da F1.

Em Montreal, Schumacher se dava muito bem. Ele fez a pole e liderou a prova até a volta 30, com cerca de 5s para o P2, Hakkinen (McLaren), quando bateu no muro da última curva, que, graças a ele, Damon Hill e Jacques Villeneuve baterem na mesma corrida, ganha o apelido de “Muro dos Campeões”. A vitória ficou com Mika Hakkinen, mas no fim nem deu para saber se o erro afetaria o campeonato do alemão, já que algumas corridas depois ele quebrou a perna, em Silverstone, abandonando qualquer chance de título naquela temporada.

Sebastian Vettel - Alemanha 2018

Momento do acidente de Sebastian Vettel no GP da Alemanha de 2018
Momento do acidente de Sebastian Vettel no GP da Alemanha de 2018
Foto: F1 / Twitter

Sebastian Vettel estava muito vivo na disputa do campeonato após o GP da Grã-Bretanha, uma vitória até de certo ponto inesperada para a Ferrari. Em Hockenheim, tudo parecia conspirar a favor de Vettel, foi o pole, enquanto Hamilton só largava em P14. Apesar de erros de estratégia da Ferrari, que colocou Raikkonen por várias voltas à frente de Vettel, as coisas estavam indo bem e a vitória estava encaminhada.

Enquanto Hamilton estava se recuperando na parte de trás e já era P4. O alemão abriu a volta 52, então faltavam apenas 16 voltas para o fim, a chuva estava começando, a pista escorregadia, quando Vettel escapa na curva 13, um local com brita e vira passageiro, batendo. O SC entra na pista e Hamilton se dá muito bem não parando, enquanto Bottas (Mercedes) e Raikkonen (Ferrari) param. O britânico então encaminhou a vitória, com a equipe dando ordens para Bottas não atacá-lo. Após esse GP, Hamilton tomou a ponta do campeonato e nunca mais saiu, conquistando seu 5° título.

Parabólica
Publicidade
Publicidade