2 eventos ao vivo

Natura Musical abre edital com maior verba dos últimos anos

Projeto disponibilizará R$ 8,5 milhões de reais voltado para artistas, bandas, coletivos e empreendedores culturais

1 set 2020
14h40
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Nem tudo está perdido para a arte. A Natural Musical, que atua há 15 anos com olhar para a economia criativa, abre nesta terça (1º) o edital de patrocínio para projetos artísticos para 2021. A inscrições podem ser feitas até o próximo dia 21 de setembro por este site

A plataforma vai disponibilizar R$ 8,5 milhões de reais, maior verba desde sua criação, para artistas, bandas, coletivos e empreendedores culturais, em diversos estágios de carreira, que desejam desenvolver projetos artísticos com identidade própria, refletindo temas, narrativas e discursos contemporâneos, com potencial de alavancar cenas regionais, nacionais e internacionais. 

Neste ano, o edital chega com algumas novidades. Será a primeira vez que a Natura Musical terá um investimento dedicado para a Região Amazônica. Além de R$ 1 milhão disponibilizado para projetos do Pará, via Lei Semear, pelo menos 20% da verba do Edital Nacional terá como prioridade iniciativas da Amazônia.

Em entrevista à coluna, Fernanda Paiva, Head of Global Cultural Branding da Natura, que comanda o projeto em quase todas suas edições, comemora o aumento do volume do investimento e a expansão da plataforma. "Cheguei na época que o investimento eram 2 milhões. Essa evolução é bem importante quando a gente avalia ano a ano. No começo [o edital] tinha foco na valorização da música brasileira. Neste ano é a expansão desse olhar. É um ano de expansão."

Outra conquista é a atuação internacional da plataforma, além da criação de novas categorias e critérios de avaliação. Dentro das categorias criação artística e inovação, serão estimulados novos formatos de interação entre artistas e público, seja no digital ou no presencial, com experimentação de novas redes e novos territórios, como ações e intercâmbios com a América Latina.

As propostas inscritas podem ter diversos formatos como álbum, show, turnê e clipe, além de programas de formação, iniciativas de empreendedorismo cultural, circuitos culturais, laboratórios de inovação, experiências imersivas, pesquisas, séries de vídeos ou podcasts, documentários, mostras, residências artísticas, intercâmbios, oficinas, pontos culturais, casas de show e conferências. 

Os projetos serão avaliados por uma rede de curadores formada por artistas, produtores, jornalistas e empresários do mercado musical. Os critérios utilizados para a seleção podem ser consultados no regulamento do edital. O anúncio dos selecionados será feito ainda em 2020.

Abro aqui um parênteses para dizer que fui curadora do edital 2020 e foi um dos trabalhos mais interessantes que tive oportunidade de participar em toda minha carreira. Além de entender (ainda mais) a riqueza da música brasileira, a seriedade e respeito com que a marca trata a arte é surpreendente. Aproveito também para alertar aos interessados a importância em descrever com riqueza de detalhes os trabalhos. Isso ajuda muito no momento de decisão dos curadores. Para se inscrever clique aqui.

Abaixo destaco os principais pontos da entrevista com a Fernanda Paiva que realizei na semana passada.

Fernanda Paiva, Head of Global Cultural Branding
Fernanda Paiva, Head of Global Cultural Branding
Foto: Divulgação

Adriana de Barros: O edital abre na terça-feira. Queria que você me falasse sobre as principais mudanças deste ano.
Fernanda Paiva: A gente gosta de efeméridas e neste ano o edital comemora 15 anos e a Natura 51. Começamos o trabalho com uma revisão do ano passado. A Natura é musical. Esse foi o ano que a Natura, com 51 anos de existência, lançou um manifesto que "O Mundo é Mais Bonito Com Você". A Natura tem essas causas e assim a gente assume essa plataforma. Uma maneira de como gerar um impacto na cultura e na música brasileira. Isso acaba contribuindo com outras causas também e começa a permear de uma forma mais contundente. Acho que é a principal mudança, uma plataforma de impacto. A partir dessa perspectiva, a gente faz uma revisão de recursos. Em março deste ano isso trouxe uma relevância maior do que a gente podia avançar. Isso traz uma relevância importante no momento que o mercado tem maior demanda. A outra grande revolução foi trazer olhar de pessoas do mercado para nos auxiliar com novas perspectivas que deveríamos considerar.

São 15 anos de Natural Musical. Você está à frente desse projeto há quantos anos e o que vê de principal mudança nesses 15 anos?
Estou há 12 anos e meio. Cheguei na época que o investimento eram de 2 milhões. O volume de investimento é bem importante quando a gente vê a evolução ano a ano e essa evolução da visão. No começo tinha foco na valorização da música brasileira. Acho que neste ano é a expansão desse olhar. É um ano de expansão.

Enquanto o governo brasileiro dá às costas para a arte, a Natura aumenta o valor do edital para R$ 8,5 milhões de reais, a maior verba em 15 anos de atividade. Como você enxerga essa conquista? Como você imagina esse dinheiro sendo empregado?
É um ano que realmente traz muito frio na barriga. Desperta as melhores energias e dá esse suspense de como vai ser. Em tempos caóticos sempre tem uma solução de criatividade. Há muito tempo a Natura entende esse vetor e inspira essa mudança. Estou muito feliz em participar dessa evolução. Isso tudo é inovação de uma marca que tem 51 anos. Ela se desenvolve a cada ano. A Natura sempre foi vanguardista, vive numa inquietação. Isso inspira a gente olhar pro Natura Musical e trazer essa inquietação da marca.

É a primeira vez que a Natura terá um investimento dedicado para toda região Amazônica. Como é pra você chegar com este projeto nesta região?
Pra gente é um momento de formar novos elos. Desde 2012 temos uma atuação no Pará. Já tivemos um projetos na região. A gente sempre teve essa inquietação de que podia acessar mais coletivos que estão produzindo músicas. Achamos importante formentar novos projeto e acessar novas redes. Estamos em um trabalho de comunicar redes e ter projetos representativos da região. Existe uma beleza muito grande nesta região que não chega pra gente. Nós somos um pouco esse efeito da floresta. Existe um diálogo muito grande nessa cultura. Queremos dar visibilidade a ela. 

E por que foram criadas essas novas categorias?
Nossa perspectiva é de fazer uma expansão. Pensamos nas categorias de forma complementar. Parte de algo que já temos que é do fomento de criação artística, de linguagem musical, cena contemporânea. Passa a ter categoria de cenas e de redes com foco em capacitação, de coletivos, de comunidades, tem uma categoria de fomento de cenas. Categoria de inclusão que tem como eixo central questões de acessibilidade, gêneros e raças e formatos que promovam inclusão. E por fim, uma categoria que chamamos que tem provocação do que vai ser o próximo linguagem, intersecção da música. 

O edital atuará pela primeira vez também fora do mercado brasileiro. Como você vê essa oportunidade?
Isso é permitido graças a abertura do edital feito 100% com verba de marketing. A gente pode identificar projetos que podem fazer intersecção com paises da América Latina e também outros projetos que promovam intercâmbios. É uma evolução importante que a música brasileira tem.

Serviço
Edital Natura Musical 2021
Quando: De 1 a 21 de setembro, às 17h
Como se inscrever: https://www.natura.com.br/naturamusical

Siga @AdrianaDeBarros

Veja também:

Os melhores momentos de Jojo Todynho em A Fazenda 12
Nos Bastidores Nos Bastidores
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade