PUBLICIDADE

O que é o embargo a Cuba?

Desde os anos 60, os Estados Unidos impõem restrições econômicas ao país socialista. Entenda o que são essas medidas e como impactam Cuba.

22 jul 2021 15h38
ver comentários
Publicidade
O embargo dos Estados Unidos a Cuba começou nos 1960 para pressionar o país a deixar de ser um regime socialista
O embargo dos Estados Unidos a Cuba começou nos 1960 para pressionar o país a deixar de ser um regime socialista
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

O que é o embargo americano a Cuba?

Trata-se de uma série de medidas econômicas que o governo dos EUA tem tomado para punir Cuba. Elas começaram nos anos 60, quando houve uma revolução socialista no país do Caribe. Continuam até hoje. 

O que essas medidas preveem?

O maior objetivo do embargo é causar danos econômicos a Cuba. Por exemplo, impedindo que empresas dos EUA comprem, vendam ou usem qualquer tipo de produto cubano em suas fábricas. Essas medidas podem se estender também para países que fazem negócios com os Estados Unidos. 

Qual é o objetivo do embargo?

Por meio da pressão econômica, os Estados Unidos querem que Cuba deixe de ser uma ditadura e se torne uma democracia. O que os americanos estão dizendo, basicamente, é: "Se vocês querem fazer negócios conosco, precisam deixar o socialismo de lado". 

O embargo causa algum efeito? 

Ele tem limitado muito a economia cubana, embora o país ainda seja socialista. Cuba tem grandes dificuldades para produzir, vender e comprar produtos. Como é uma pequena ilha, isso significa que sua produção local não dá conta de todas as necessidades dos cidadãos. Não são incomuns falta de produtos básicos. 

Cuba é socialista desde os anos 1960. Dá pra dizer que o embargo falhou?

Sim. E em grande parte porque, até os anos 1990, Cuba podia contar com o mundo soviético para fazer comércio internacional. A partir da queda da URSS, no entanto, o país caribenho vem sofrendo bastante. 

Quais são as críticas ao embargo? 

Vários países (e a ONU) consideram que a dureza dessas medidas são desproporcionais ao tamanho de Cuba. Além disso, os Estados Unidos mantém relações comerciais com outros países autoritários, o que mostraria uma seletividade quando se trata de Cuba. 

E o que diz quem defende o embargo? 

Os defensores consideram que Cuba precisa deixar de ser uma ditadura e se tornar uma democracia se quiser voltar a fazer negócios com os EUA e com boa parte do mundo.

Me Explica Me Explica
Publicidade
Publicidade