3 eventos ao vivo

Importadores da Abeifa focam nos híbridos e elétricos

Carros importados cresceram 17,1% no mês e 3,2% em relação a março do ano passado

6 abr 2021
13h16
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Porsche Taycan: uma das estrelas do segmento de carros totalmente elétricos.
Porsche Taycan: uma das estrelas do segmento de carros totalmente elétricos.
Foto: Porsche / Divulgação

O presidente da Abeifa (Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores), João Henrique de Oliveira, fez nesta terça-feira (5) um balanço das vendas de março e do primeiro trimestre. A associação dos importadores (que reúne também alguns fabricantes) está cada vez mais focada nos carros híbridos e elétricos, que trazem as tecnologias de ponta para o país.

No primeiro trimestre de 2020, a participação das marcas da Abeifa nas vendas de carros híbridos e elétricos era de apenas 17,4% (ou 902 unidades). Este ano, passou a ser de 51,4% (ou 2.355 unidades). Segundo João Oliveira, esta é a principal contribuição da associação para o mercado. Ele fez uma live pelo YouTube e destacou também o crescimento nas vendas de importados e nacionais em março.

Ranking de marcas importadoras da Abeifa.
Ranking de marcas importadoras da Abeifa.
Foto: Sergio Quintanilha / Reprodução / Abeifa

As 15 marcas filiadas à Abeifa anotaram em março alta de 22,5% ante igual período de 2020 e de 38,3% mais em relação a fevereiro deste ano. Na importação, o crescimento foi de 3,2% em relação ao ano passado e de 17,1% em relação a fevereiro. Nos carros nacionais, a alta de vendas foi de 37,4% em relação ao ano passado e de 54,4% comparada a fevereiro.

No acumulado do trimestre, os importados tiveram queda de 16,1%, mas os nacionais cresceram 11%. Somados os carros nacionais e importados da Abeifa, foram emplacados 15.312 veículos (-1,7%). João Oliveira disse que o resultado de março foi impactado pelas vendas represadas de fevereiro, por conta do fornecimento de peças. “Nossas associadas ainda vivem momentos de muita apreensão e preocupação com a paridade cambial e o cenário de pandemia”, disse.

Ranking de marcas que fabricam no Brasil.
Ranking de marcas que fabricam no Brasil.
Foto: Sergio Quintanilha / Reprodução / Abeifa

“Estamos preocupados com as marcas que são subsidiárias e também com os importadores de grupos empresariais brasileiros, mas sobretudo com a saúde financeira da rede autorizada de concessionárias, pertencente a empresários locais e regionais”, disse João Oliveira. “Os números mensais de desempenho, dos últimos dez anos, mostram a fragilização de nosso setor. Isso não é bom para o país porque os importados já comprovaram sua importância no mercado brasileiro, responsáveis por trazer novas tecnologias, novos investimentos e, em especial, balizamento de preços.”

João Oliveira mostra o crescimento de elétricos e híbridos.
João Oliveira mostra o crescimento de elétricos e híbridos.
Foto: Sergio Quintanilha / Reprodução / Abeifa

“Embora as associadas à Abeifa, com veículos nacionais e importadas, representam tão somente 3,3% e, somente com os importados, apenas 1,2%, quando se trata de veículos eletrificados, já contribuímos com mais de 50% no primeiro trimestre de 2021. Nessa terceira onda o setor de importação será fundamental no futuro da mobilidade”, argumenta João Henrique Oliveira.

Veja também:

Volkswagen Taos, o terror do Compass, está pronto!
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade