PUBLICIDADE

WhatsApp obtém aprovação para dobrar base de usuários de pagamentos na Índia

26 nov 2021 16h06
| atualizado em 29/11/2021 às 09h12
ver comentários
Publicidade

O WhatsApp obteve aprovação regulatória para dobrar o número de usuários de seu serviço de pagamentos na Índia para 40 milhões, disse uma fonte com conhecimento direto do assunto à Reuters nesta sexta-feira.

Anúncio do Whatsapp em Mumbai, Índia
26/08/2021
REUTERS/Francis Mascarenhas
Anúncio do Whatsapp em Mumbai, Índia 26/08/2021 REUTERS/Francis Mascarenhas
Foto: Reuters

A empresa solicitou que não houvesse limite para usuários de seu serviço de pagamento no país.

Em vez disso, a Companhia Nacional de Pagamentos da Índia (NPCI, no inglês) disse ao WhatsApp nesta semana que a empresa pode dobrar a base de usuários para os quais oferece o serviço de pagamento - atualmente restrito a 20 milhões de pessoas -, disse a fonte.

A fonte disse que o novo limite ainda prejudicará as perspectivas de crescimento da empresa, visto que o serviço de mensagens do WhatsApp tem mais de 500 milhões de usuários na Índia, o maior mercado da companhia.

Não está claro quando o novo limite entrará em vigor.

O WhatsApp não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, enquanto a NPCI não comentou.

O WhatsApp concorre com Google Pay, Paytm, apoiado por SoftBank e Ant Group, e o PhonePe, do Walmart, no concorrido mercado digital da Índia.

A NPCI deu ao WhatsApp a aprovação para iniciar o serviço de pagamentos no ano passado, depois que a empresa passou anos tentando cumprir os regulamentos indianos, incluindo normas de armazenamento de dados. Uma regra do país exige que todos os dados relacionados a pagamentos sejam armazenados localmente.

Transações online, empréstimos e serviços de carteira eletrônica têm crescido rapidamente na Índia, liderados por um impulso do governo para fazer com que os comerciantes e consumidores que usam dinheiro adotem pagamentos digitais.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade