PUBLICIDADE

Viu é um app que mostra quando há tiroteios e arrastões no Rio de Janeiro

Aplicativo de economista norte-americano permite que usuário transmita tiroteios, arrastões, assaltos e incêndios ao vivo e envie informações por WhatsApp

6 dez 2021 13h54
| atualizado às 14h06
ver comentários
Publicidade

Um novo aplicativo de segurança chamado Viu é capaz de avisar usuários quando um tiroteio ocorre na região metropolitana do Rio de Janeiro. Além de avisar sobre a troca de tiros, a plataforma gratuita permite que usuários transmitam ocorrências e eventos ao vivo, como roubos, assaltos, acidentes e até incêndios, de forma anônima. Através de um mapa que mostra o local das ocorrências, é possível transmitir informações de eventos pelo WhatsApp.

Aplicativo Viu avisa sobre tiroteios, arrastões, assaltos, e até incêndios
Aplicativo Viu avisa sobre tiroteios, arrastões, assaltos, e até incêndios
Foto: Viu/ YouTube / Tecnoblog

Viu tem feed com eventos de segurança, como tiroteios

O Rio de Janeiro sofre com problemas recorrentes relacionados à segurança pública. Muitas vias arteriais da cidade, como a Linha Amarela ou a Avenida Brasil, são afetadas por tiroteios e arrastões constantemente, por exemplo.

Com a proposta de aumentar a segurança na capital fluminense, o Viu chega para o Android e quer ter um milhão de pessoas cadastradas em sua plataforma até o final de 2022. Hoje, são mais de cinco mil, segundo a página do app na Google Play Store.

O Viu possui um feed de alertas que relata atividades de outros usuários ao vivo. Alguém com a plataforma instalada em seu celular pode avisar sobre uma ocorrência ou abrir uma transmissão ao vivo, que também aparece na linha do tempo de outros usuários.

Ao abrir o Viu, o usuário se depara com um mapa preenchido por pontos laranjas. Essas marcações indicam eventos de segurança e, ao clicar neles, o usuário pode visualizar vídeos, fotos ou lives feitos sobre aquela ocorrência. Como em uma rede social, ele pode curtir, comentar ou compartilhar os "posts".

Para iniciar um evento, basta clicar em um botão de "+", esperar três segundos e transmitir ao vivo. Ao selecionar a opção de live, o usuário também pode repassar as informações pelo WhatsApp e marcar lugares de interesse do Rio de Janeiro para que a pessoa receba mais informações ao longo do feed sobre aquele local.

Tipos de ocorrências que podem ser relatadas no Viu
Tipos de ocorrências que podem ser relatadas no Viu
Foto: Viu/ YouTube / Tecnoblog

A tecnologia está sendo desenvolvida para o iOS e deve chegar ao sistema da Apple nos próximos meses.

Aplicativo foi criado por norte-americano para "salvar vidas"

O aplicativo, desenvolvido pelo economista norte-americano Jason Sprenger, se inspira em modelos que funcionam no resto mundo. Por enquanto, ainda está em fase de testes — a Google Play Store avisa que o usuário pode enfrentar instabilidade ao navegar pelo Viu. Para Sprenger, é necessário estabelecer uma confiança entre o carioca e o aplicativo, e isso também se dá pela transmissão de informações corretas. O economista disse ao Extra:

Os únicos eventos que sobem sem passar por uma avaliação de nossa equipe são as transmissões ao vivo. Nesse caso, o risco de ser fake news é muito pequeno, porque é a câmera da pessoa capturando e transmitindo pelo nosso aplicativo naquele momento.

Sprenger, que é casado com uma brasileira, mora no Rio desde 2020. Ele conta que resolveu mapear incidentes de violência depois que sua sogra foi vítima de um arrastão na Barra por mais de uma vez.

De acordo com o norte-americano, a informação de que uma região é violenta acaba fazendo com que as pessoas fujam daquele local, "e isso às vezes acaba salvando vidas".

Ainda na fase de testes com 200 motociclistas, o Viu conseguiu agilizar os primeiros socorros a um motoqueiro que teve seu pescoço cortado por uma linha de pipa com cerol, na Linha Amarela. Outro motoboy, que passou pela área do acidente, usou o aplicativo para registrar o ocorrido, avisando outros usuários sobre o perigo.

Até agora, o Viu foi utilizado para registrar quase 9,5 mil ocorrências — entre 40% e 50% são por meio de lives. Em 15 de setembro, por exemplo, o aplicativo foi usado para uma transmissão ao vivo que durou 23 minutos de um incêndio em Botafogo, na zonal sul carioca. Já no dia 28 de outubro, foi relatada na plataforma uma perseguição policial em Belford Roxo, com imagens que parecem ser de câmeras de segurança.

O economista americano afirma que, por meio do Viu, no caso do incêndio em Botafogo, os relatos dos usuários fizeram com que os bombeiros ficassem sempre atentos aos desdobramentos. "Nossos usuários alertaram, e os bombeiros retornaram", conclui Sprenger.

Vale ressaltar que moradores do Rio de Janeiro também contam com o aplicativo Fogo Cruzado, uma plataforma colaborativa — como o Viu — que monitora tiroteios, operações policiais e violência armada.

Viu é um app que mostra quando há tiroteios e arrastões no Rio de Janeiro

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade