2 eventos ao vivo

Vendas de iPhone podem cair até 30% se WeChat for proibido

A remoção do WeChat da App Store no mundo todo também pode provocar diminuições de até 25% nas vendas de outros produtos da marca, como AirPods, iPad, Apple Watch e Mac

10 ago 2020
17h16
atualizado às 21h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

As vendas anuais de iPhone podem cair até 30% se a Apple for obrigada a remover o WeChat da sua loja de aplicativos ao redor do mundo. É o que prevê uma pesquisa do analista especializado na empresa Ming-Chi Kuo, publicada nesta segunda-feira, 10, no site MacRumors. Na semana passada, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a proibição do app chinês WeChat e do TikTok no país, decreto que entra em vigor em setembro e que também tem como objetivo banir transações de empresas americanas com as gigantes de tecnologia chinesas.

Como ainda não se sabe se a Apple será forçada a retirar o WeChat da sua loja de aplicativos apenas nos Estados Unidos ou se proibição será mundial, Kuo também fez uma projeção mais otimista. Caso o banimento seja apenas nos EUA, a previsão é de que a venda de iPhones cairia 6%, enquanto a venda de outros produtos da Apple teria queda de no máximo 3%.

O WeChat, conhecido como o "WhatsApp da China", é extremamente popular entre os usuários chineses, mercado importante para o crescimento da Apple. "Como o WeChat se tornou uma necessidade diária na China, integrando funções como mensagens, pagamento, e-commerce, redes sociais, leitura de notícias e produtividade, se for esse o caso, acreditamos que as remessas de produtos de hardware da Apple no mercado chinês diminuirão significativamente", disse o analista.

Além da queda nas vendas de iPhone, a remoção do WeChat da App Store no mundo todo pode provocar diminuições de até 25% nas vendas de outros produtos da marca, como AirPods, iPad, Apple Watch e Mac.

Veja também:

Como a Tesla fez de Musk a 2ª pessoa mais rica do mundo
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade