8 eventos ao vivo

Tribunal de Londres nega pedido de fiança de Julian Assange

25 mar 2020
12h15
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Julian Assange, fundador do WikiLeaks que está lutando contra uma extradição do Reino Unido para os Estados Unidos, viu seu pedido de fiança ser recusado nesta quarta-feira depois de seus advogados dizerem que ele deveria ser libertado por correr grande risco de contrair o coronavírus na prisão.

Julian Assange, fundador do WikiLeaks Londres, Reino Unido, 13/01/2020 REUTERS/Simon Dawson
Julian Assange, fundador do WikiLeaks Londres, Reino Unido, 13/01/2020 REUTERS/Simon Dawson
Foto: Reuters

O ativista de 48 anos é procurado nos EUA devido a 18 acusações criminais de conspiração para invadir computadores do governo e violar uma lei de espionagem e diz que poderia passar décadas preso se for condenado.

"Tal como as coisas estão hoje, esta pandemia global por si só não é motivo para a libertação do senhor Assange", disse a juíza Vanessa Baraitser, do Tribunal dos Magistrados de Westminster.

Ela disse que a conduta passada de Assange mostrou o quanto longe ele está preparado para ir para evitar os procedimentos de extradição e que existem razões substanciais para acreditar que, se fosse solto, ele voltaria a se esconder.

Ela se referia ao fato de Assange ter se ausentado de uma audiência de fiança e se refugiado na embaixada equatoriana de Londres em 2012 para evitar uma extradição para a Suécia, onde era procurado à época para responder perguntas sobre supostos crimes sexuais - as alegações foram retiradas desde então.

Assange ficou entrincheirado na embaixada durante sete anos, e acabou sendo retirado depois que o Equador revogou seu asilo.

Ele está detido na prisão Belmarsh de Londres.

Veja também:

Apple Event: 3 detalhes que merecem destaque
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade