PUBLICIDADE

Totens são hackeados para exibir pornografia em aeroporto do Rio de Janeiro

Telas usadas para publicidade no Aeroporto Santos Dumont foram invadidas por hackers, que colocaram imagens de um site de pornografia

27 mai 2022 22h17
ver comentários
Publicidade

Imagine a situação: você desembarca na Cidade Maravilhosa e, no aeroporto, vê cenas quentes no totem de publicidade. Não, não é a previsão de um dia ensolarado. É pornografia, mesmo. Foi o que aconteceu nesta sexta-feira (27) no Santos Dumont, no Rio de Janeiro (RJ). As telas foram hackeadas, e os responsáveis colocaram imagens de um site adulto para todo mundo que estava passando ver.

Pessoa com mala de viagem (Imagem ilustrativa: rawpixel.com/Pexels)
Pessoa com mala de viagem (Imagem ilustrativa: rawpixel.com/Pexels)
Foto: Tecnoblog

Questionada, a Infraero, que administra o aeroporto, disse que não é bem o que você está pensando e pode explicar tudo. Os totens são de responsabilidade das empresas de publicidade e usam outros sistemas, não os do aeroporto.

Por isso, a operação não foi afetada, muito menos invadida. As telas que mostram a situação e o horário dos voos estão a salvo. Ufa, ainda bem.

Mesmo assim, a administração registrou um boletim de ocorrência e comunicou o episódio à Polícia Federal. As companhias responsáveis pelos totens também foram notificadas.

Pornografia em tela hackeada não é novidade

Enquanto a investigação não avança e o problema não é resolvido, a solução foi desligar as telas, para ninguém ter uma recepção tão calorosa ao chegar.

E o aeroporto pode ficar tranquilo, porque isso pode acontecer com qualquer um. Não é a primeira vez que hackers invadem sistemas desse tipo apenas para mostrar pornografia -- e com certeza não será a última.

Casos do tipo já aconteceram em um outdoor de uma estrada nos EUA, na vitrine de uma loja esportiva na Austrália e até mesmo em uma avenida nas Filipinas, onde pornografia é ilegal.

Por mais que ataques assim sejam constrangedores, para dizer o mínimo, eles pelo menos não causam tantos danos quanto o ransomware.

Este tipo de ataque criptografa todos os arquivos de um sistema e cobra um resgate para devolvê-los.

Episódios com companhias privadas ou entidades estatais completamente paralisadas se tornaram bem mais frequentes nos últimos anos.

Entre as afetadas, tivemos prefeituras, lojas de roupas e laboratórios de exames, só para citar alguns exemplos. Até a JBS, maior empresa de proteína animal do mundo, foi vítima de um ataque hacker.

Com informações: CNN Brasil, Valor Econômico.

Totens são hackeados para exibir pornografia em aeroporto do Rio de Janeiro

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade