0

Tinder testa na Índia função que concede controle adicional às mulheres

25 set 2018
14h52
atualizado às 17h17
  • separator
  • comentários

A versão indiana do aplicativo de namoro Tinder está testando um novo recurso que dá às mulheres um nível maior de controle e segurança antes de permitir que os homens iniciem conversas por mensagens, com o objetivo de levar a função para escala global.

08/03/2018. REUTERS/Monica Almeida.
08/03/2018. REUTERS/Monica Almeida.
Foto: Reuters

O recurso "Meu Movimento" permite que as mulheres escolham em suas configurações que apenas elas possam iniciar uma conversa com um homem depois que ambos tenham se aprovado no Tinder.

Normalmente, o aplicativo concede a ambas as partes o direito de enviar mensagens de texto.

O Tinder tem testado a função na Índia há vários meses e planeja lançá-la em todo o mundo se o recurso for bem-sucedido naquele país. Seu rival, o aplicativo Bumble já permite que apenas as mulheres iniciem as conversas.

O namoro ainda é desaprovado em muitos círculos na sociedade religiosa e etnicamente dividida da Índia, onde casamentos arranjados ainda são a norma.

A gerente do Match Group na Índia, Taru Kapoor, disse à Reuters que a função foi pioneira no país por causa da necessidade de atrair mais mulheres para o aplicativo, fazendo com que elas se sintam mais confortáveis e seguras.

Milhares de relatos de violência sexual e estupro na Índia a cada ano também levantaram preocupações em torno da segurança das mulheres no país.

No entanto, uma classe emergente de jovens em cidades cosmopolitas como Bengaluru e Mumbai fizeram do país o maior mercado do Tinder na Ásia. A empresa também diz que o mercado indiano é o mais "falante" globalmente, com clientes utilizando o recurso de mensagens mais do que em qualquer outro país.

Várias usuárias entrevistadas pela Reuters permaneceram céticas em relação à utilidade do recurso e disseram que a mudança nas configurações não faria muito para mudar sua experiência.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade