PUBLICIDADE

Telegram chega a 500 milhões de usuários com "fuga" do WhatsApp

Depois do WhatsApp apresentar nova política de privacidade, Telegram teve crescimento acima da média no número de usuários

12 jan 2021 16h14
ver comentários
Publicidade

A nova política de privacidade do WhatsApp tem levado usuários para outros aplicativos de mensagens. Um dos beneficiados é o Telegram, que superou a marca de 500 milhões de usuários na primeira semana de janeiro. Entre sábado (9) e terça-feira (12), o app registrou mais 25 milhões de novos usuários, o que está bem acima de sua média.

Telegram (Imagem: Christian Wiediger / Unsplash)
Telegram (Imagem: Christian Wiediger / Unsplash)
Foto: Tecnoblog

Para se ter uma ideia, em 2020, o Telegram registrou média de 1,5 milhão de novos usuários por dia. Entre os que se cadastraram no aplicativo nos últimos três dias, 21% são da América Latina — outros 38% são da Ásia, 27% da Europa e 8% do Oriente Médio e do Norte da África.

Os números foram apresentados pelo fundador do Telegram, Pavel Durov, que comentou o crescimento. Sem citar o WhatsApp, ele afirmou que os usuários estão em busca de uma plataforma comprometida com privacidade e segurança. Segundo ele, o serviço já teve picos de downloads antes, mas agora é diferente.

"As pessoas não querem mais trocar sua privacidade por serviços gratuitos. Elas não querem mais ser reféns de monopólios que parecem pensar que podem se safar de qualquer coisa, desde que seus aplicativos tenham uma massa crítica de usuários", avaliou Durov.

Sobre a confiança depositada pelos novos usuários no Telegram, ele afirmou: "Levamos essa responsabilidade muito a sério. Não vamos decepcionar vocês".

Por que estão trocando o WhatsApp pelo Telegram?

O crescimento do Telegram acontece depois que o WhatsApp apresentou sua nova política de privacidade. O documento removeu trechos que tratavam da possibilidade de proibir o compartilhamento de dados com o Facebook. Além disso, ele passou a dar mais detalhes sobre quais informações ficam disponíveis para a rede social de Mark Zuckerberg.

Com a mudança, muitos sites noticiaram que seria necessário permitir o compartilhamento de dados com o Facebook para seguir usando o WhatsApp. Na verdade, a troca de dados entre os serviços ocorre desde 2016, quando o mensageiro pediu permissão aos usuários. Porém, a mudança da política chamou a atenção para a prática da plataforma.

Isso fez concorrentes como Telegram e Signal ganharem espaço entre usuários. Segundo a consultoria App Annie, os dois ficaram mais populares no Google Play e na App Store. No domingo (10), os aplicativos chegaram ao primeiro lugar em downloads nas duas lojas em dezenas de países.

Telegram chega a 500 milhões de usuários com "fuga" do WhatsApp

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade