1 evento ao vivo

SoundCloud recebe novos investimentos e troca administração

11 ago 2017
17h03
atualizado às 18h00
  • separator
  • comentários

O SoundCloud, aplicativo de música mais popular de música, mas que tem lutando para encontrar um modelo de negócio rentável, disse que recebeu novos investimentos nesta sexta-feira, evitando que o serviço fique sem caixa este ano.

Fundador do SoundCloud, Alexander Ljung, durante conferência de tecnologia LeWeb na França
4/12/2012 REUTERS/Philippe Wojazer
Fundador do SoundCloud, Alexander Ljung, durante conferência de tecnologia LeWeb na França 4/12/2012 REUTERS/Philippe Wojazer
Foto: Reuters

A empresa, que demitiu 40 por cento de sua equipe em julho, informou que os financiamentos vieram do banco de investimento especializado em mídia Raine e do fundo soberano de Cingapura Temasek, sem revelar o montante ou os termos do acordo.

Uma fonte a par do assunto disse que o investimento ficou em torno de 170 milhões de dólares, conforme noticiado pelo site de notícias Axios, que obteve a folha de termos do negócio.

A empresa disse que, como parte do novo investimento, os veteranos no setor de mídia digital Kerry Trainor e Michael Weissman, respectivamente o ex-presidente-executivo e o diretor de operações do serviço de vídeo online Vimeo, assumiriam os mesmos papeis na SoundCloud. O fundador, Alexander Ljung, aceitou deixar o cargo de CEO e vira presidente do conselho.

A chegada dos antigos líderes da Vimeo -uma das maiores rivais do YouTube, do Google e do Facebook, eleva a perspectiva de que o SoundCloud possa evoluir para além da transmissão de áudio em uma direção mais orientada para vídeos de música.

"O investimento garantirá um futuro forte e independente para o SoundCloud, financiando um desenvolvimento mais profundo e comercializando suas principais ferramentas usadas por milhões de criadores de áudio", disse a empresa.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade