PUBLICIDADE

Estudantes criam robô para levar medicamentos a regiões pobres

10 ago 2012 12h33
| atualizado às 13h40
Publicidade

Estudantes criaram o projeto de um robô capaz de transportar medicamentos e comida para regiões de difícil acesso - ou até mesmo sem estradas que possibilitam a chegada de equipes humanitárias. Esses helicópteros fazem parte do sistema chamado Matternet, desenvolvido na Singularity University do Vale do Silício, e podem significar o futuro do transporte em função da ajuda humanitária.

Drones da Matternet poderiam transportar suprimentos para regiões pobres e de difícil acesso
Drones da Matternet poderiam transportar suprimentos para regiões pobres e de difícil acesso
Foto: Divulgação

Estatísticas indicam que quase 1 bilhão de pessoas vivem em áreas rurais sem acesso através de rodovias ou outros caminhos terrestres seguros. Uma grande parcela da população mundial, portanto, tem dificuldades em receber remédios, alimentos e outros suprimentos essenciais nos locais onde vivem. Os robôs da Matternet seriam capazes de transportar tais produtos - e, dentro de alguns anos, até pessoas - em regiões pobres do planeta.

A ideia surgiu quando estudantes foram desafiados a encontrar soluções para a pobreza, entre outros problemas da humanidade, como educação, segurança e saúde. Através do uso de veículos aéreos autônomos (AAVs, na sigla em inglês), a equipe planeja usar esses robôs para desenvolver o transporte em algumas partes do mundo da mesma maneira que os celulares ajudaram países em desenvolvimento a atualizar suas linhas telefônicas.

O projeto Matternet está sendo desenvolvido em três estágios: no primeiro, os autores planejam possibilitar o carregamento de cargas com até 2 quilos a uma distância de, no máximo, 10 quilômetros. O protótipo criado pelo grupo já tem essa capacidade, porém ainda não foi colocado em prática. Em uma segunda fase, os helicópteros seriam capazes de levar até 200 quilos - e teriam maior autonomia de voo com a instalação de estações de recarga baseadas em energia solar. Na terceira fase, o objetivo é possibilitar o transporte de até 1 tonelada, e permitir que pessoas também sejam levadas para hospitais e centros humanitários.

Apoio ao projeto
O governo da República Dominicana já concordou em trabalhar com os drones da Matternet para um teste de campo no país e está contribuindo para o financiamento da ideia, que também conta com o apoio de empresários, engenheiros, hackers e outros doadores que aprovaram a ideia desenvolvida na Singularity University - instituição que anualmente propõe a seus alunos desafios com o objetivo de descobrir novas ideias para grandes dificuldades globais.

Durante o desenvolvimento dos robôs, a equipe responsável se dividiu em duas: um grupo trabalha em uma versão patenteada da ideia, enquanto outra cria uma versão de código aberto. O objetivo é grandioso: criar uma rede de veículos aéreos autônomos que um dia seria capaz de enviar medicamentos rapidamente a qualquer lugar do mundo, sem requerer piloto, capaz de percorrer grandes distâncias promovendo a ajuda humanitária.

O projeto deve ter uma demonstração piloto durante o Burning Man - festival anual de contracultura e invenções, tecnologia e arte que acontece neste ano de 27 de agosto a 3 de setembro no deserto Black Rock em Nevada, nos Estados Unidos. O protótipo criado é capaz de se movimentar em ambientes com altas temperaturas, baixa humidade e fortes ventos, ideal para áreas de difícil acesso, porém ainda esbarra na falta de apoio político e financeiro.

Fonte: Terra
Publicidade