PUBLICIDADE

Cientistas criam robô 'MacGyver', que escapa de obstáculos

Robô MacGyver transforma objetos em ferramentas

11 out 2012 07h33
Publicidade

Os robôs têm cada vez mais substituído as pessoas na exploração de locais perigosos e de difícil acesso, porém ainda não são capazes de interagir com o ambiente tão bem quanto os humanos. Se o robô mais sofisticado da atualidade ficasse preso dentro de uma sala em chamas com a única porta trancada, provavelmente não saberia como localizar e usar objetos disponíveis para subir pelos destroços, arrombar a porta e escapar do prédio. Tarefa para MacGyver? Não mais.

Mike Stilman apresenta sua criação, o "robô MacGyver", que usa ferramentas para realizar tarefas
Mike Stilman apresenta sua criação, o "robô MacGyver", que usa ferramentas para realizar tarefas
Foto: Divulgação

O personagem do programa de televisão homônimo dos anos 1980 (também conhecido no Brasil como Profissão Perigo), que resolvia problemas complexos e escapava de situações perigosas utilizando apenas objetos e ferramentas de uso comum, como um canivete suíço e fita adesiva, serviu de inspiração para o desenvolvimento do robô humanoide Golem Krang. Cientistas o criaram a partir de uma pesquisa do professor Mike Stilman, do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos Estados Unidos, responsável pelo sistema de navegação inovador.

"Queremos entender os processos cognitivos básicos que permitem aos humanos tirar proveito de objetos comuns, encontrados em ambientes normais, e utilizá-los como ferramentas. Conseguiremos isso ao aprimorar algoritmos para robôs que realizam tarefas geralmente impossíveis para as máquinas, porém realizáveis por robôs com ferramentas", afirmou Stilman, que estuda como máquinas podem se mover em meio a obstáculos que os impedem de atingir seu objetivo.

O projeto foi possível graças à doação de US$ 900 mil do Escritório de Pesquisa Naval (ONR, na sigla em inglês) dos Estados Unidos para o desenvolvimento do trabalho durante três anos. O desafio, segundo o criador do Golem Krang, é que há, na robótica, uma grande diferença entre remover objetos do caminho e utilizá-los para criar um caminho. Além disso, é necessário produzir um sistema que permita à máquina identificar e aproveitar informações sobre as funções dos objetos.

As tarefas iniciais previstas para o "robô MacGyver" realizar com eficiência incluem utilizar cadeiras para chegar a um ponto mais alto, apoiar uma escada na parede, empilhar caixas para escalar e construir "pontes" a partir de destroços. Nada tão incrível quanto as missões do personagem da televisão - ao menos por enquanto.

Fonte: Terra
Publicidade