PUBLICIDADE

Programador da 'Netflix pirata' é condenado à prisão

Luis Angel Villarino foi condenado a 1 ano e um dia de prisão pela Corte de Virgínia por conspiração e violação de direitos autorais

18 jun 2021 18h02
| atualizado às 18h16
ver comentários
Publicidade

O programador do Jetflix, um dos maiores sites de torrent dos EUA para assistir séries e filmes recém-lançados - como um "Netflix pirata" - foi condenado a 1 ano e um dia de prisão pela Corte de Virgínia por conspiração e  violação de direitos autorais. Luis Angel Villarino admitiu o crime junto com o dono do iStreamItAll, outro domínio do tipo, em dezembro de 2019. Outras 6 pessoas envolvidas no caso aguardam julgamento. 

Jetflix tinha mais de 110 séries em seu catálogo
Jetflix tinha mais de 110 séries em seu catálogo
Foto: Atul Vinayak/ Unsplash / Tecnoblog

O dono da Jetflix indiciado em 2019 teve julgamento marcado para março de 2020. A sessão, contudo, foi adiada devido à pandemia do novo coronavírus. O processo foi resumido no mês passado; Villarino preferiu admitir o crime, fugindo de uma pena maior do júri.

Darryl Julios Polo, ou djppimp, dono do iStreamItAll, outro grande domínio de IPTV pirata, confessou pelos crimes de conspiração por violação de direitos autorais e por lavagem de dinheiro - ele ajudou na operação do Jetflix e fundou o iStreamItAll - e foi sentenciado a quase 5 anos de prisão no mês passado.

Luis Angel Villarino pegou uma pena mais branda, e não foi indiciado por ocultação de bens; após completar sua pena de 1 ano em reclusão, deve passar mais 36 meses respondendo em liberdade sob supervisão da Justiça. Ele deve cumprir sentença em uma prisão em Las Vegas, para que tenha contato com a família.

"Netflix pirata" tinha torrents de 110 mil séries por R$ 50

Era da cidade norte-americana conhecida por seus grandes cassinos que Polo e Villarino comandavam a operação dos sites para baixar torrentes ilegais. Tanto o Jetflix quanto o iStreamItAll eram gigantescos em escala: tinham mais de 110 mil episódios de séries ilegais que podiam ser transmitidas.

O Jetflix ainda operava sob faixada como um serviço de streaming para companhias aéreas. Quando recebia as advertências de direitos autorais por permitir o download de centenas de milhares de séries, Villarino os repassava a seus inscritos - que pagavam taxa de R$ 50 mensais.

O juiz da Corte de Virgínia T.S Elis, III não impôs fiança ao programador. No dia em que ele deixar a prisão, deve procurar novamente as autoridades dentro de 72 horas, sem ter cometido outros crimes ou usado substâncias ilícitas no meio tempo.

Com informações: Torrent Freak.

Programador de "Netflix pirata" é condenado à prisão por violar copyright

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade