PUBLICIDADE

Preço do bitcoin é afetado por projeto de lei antiterrorismo na Europa

Regulamentações propostas na União Europeia contra financiamento do terrorismo e lavagem de dinheiro pedem transparência nas transações com criptomoedas

21 jul 2021 19h04
| atualizado em 22/7/2021 às 17h55
ver comentários
Publicidade

A Comissão Europeia anunciou nesta última terça-feira (20) novas e rígidas propostas de regulamentações sobre criptomoedas para combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo. Na prática, as novas medidas na Europa afetariam as transações e o armazenamento de moedas digitas, removendo ao máximo o grau existente de anonimato dessa tecnologia. Seguido do anúncio, as principais criptomoedas do mercado, como o bitcoin (BTC) e ether (ETH), caíram.

Criptomoedas são alvo de mais regulamentações
Criptomoedas são alvo de mais regulamentações
Foto: Alesia Kozik/Pexels / Tecnoblog

A proposta para a nova legislação envolve uma tentativa de dar aos governos de toda a União Europeia uma diretriz comum e mais organizada sobre as criptomoedas, o que significa que as transações envolvendo ativos como bitcoin, ether e ripple serão, em breve, totalmente rastreáveis.

Ontem, o preço do bitcoin encostou nos US$ 29 mil, praticamente zerando sua valorização acumulada ao longo de 2021. O ether e a maioria dos principais ativos digitais do mercado também operaram no vermelho. Nesta quarta-feira (21), o mercado de criptomoedas demonstrou uma breve recuperação.

UE quer transparência nas transações com criptomoedas

O pacote legislativo exige que as corretoras de criptomoedas e outros provedores de serviços coletem informações dos usuários de sua plataforma. Atualmente, carteiras de moedas digitais são pseudo-anônimas, vinculadas apenas a senhas complicadas, mas a nenhuma informação pessoal.

As leis terão como alvo "provedores de serviços de criptoativos", e não os próprios usuários. Será responsabilidade das corretoras adquirirem os dados pessoais do remetente e do destinatário, por exemplo. Vale lembrar que esse mesmo processo está sendo implementado nos Estados Unidos, então a União Europeia já possui referências de seus resultados.

"As criptomoedas são uma das formas mais novas para se lavar dinheiro", tweetou Mairead McGuinness, Comissária de Serviços Financeiros, Estabilidade Financeira e União dos Mercados de Capitais da UE, na terça-feira. "Nossas regras agora se aplicam a todo o setor cripto. Vamos banir carteiras criptográficas anônimas e garantir que as transferências de ativos digitais sejam rastreáveis."

De acordo com a empresa de pesquisas Chainalysis, mais de US$ 2 bilhões em criptomoedas foram lavados em 2020, com 55% desse dinheiro sendo direcionado para 270 contas de blockchain. As novas leis da UE, se adotadas globalmente, tornariam essa atividade muito mais difícil. A Rede de Fiscalização de Crimes Financeiros do Tesouro dos EUA pediu no ano passado que uma rastreabilidade semelhante fosse aplicada no país, citando atividades ilícitas com criptomoedas de empresas como o Lazarus Group.

"Dado que as transferências de ativos virtuais estão sujeitas a riscos de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo… parece lógico usar o mesmo instrumento legislativo para tratar dessas questões comuns", escreveu a Comissão da UE.

Com informações: The Guardian

Preço do bitcoin é afetado por projeto de lei antiterrorismo na Europa

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade