PUBLICIDADE

Operação da PF investiga desvio de verba em pesquisas do CNPq e da UnB

PF investiga desvio de recursos para projetos de pesquisa que receberam financiamento de R$ 10 milhões do CNPq e da Finatec, ligada à Universidade de Brasília

21 set 2021 17h50
ver comentários
Publicidade

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira (21) a operação Klopês, que investiga o desvio de recursos públicos destinados a projetos de pesquisa financiados por duas instituições: a Finatec — Fundação de Empreendimentos Tecnológicos e Científicos, vinculada à Universidade de Brasília (UnB) — e o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Polícia Federal deflagrou operação para investigar desvio de repasses a projetos de pesquisa
Polícia Federal deflagrou operação para investigar desvio de repasses a projetos de pesquisa
Foto: PF/ Divulgação / Tecnoblog

A operação Klopês levou policiais federais às ruas na manhã de hoje para cumprirem 11 mandados de busca e apreensão e de sequestro de bens e valores. Os decretos foram despachados pela 10ª Vara Criminal Federal do Distrito Federal (DF). Os policiais cumpriram as ordens em endereços em em Minas Gerais (MG) e no DF.

A investigação que resultou na operação Klopês foi inciada em 2021, após relatório de Auditoria do CGU revelar que houve um desvio de verbas de projetos de pesquisa entre os anos de 2015 e 2020. Ao todo, o CNPq e a Finatec destinaram R$ 10 milhões aos projetos investigados.

Investigados usaram dinheiro para pagar imóvel de luxo

Segundo a Polícia Federal, os alvos da investigação usaram os recursos desviados para pagar diárias em viagens não relacionadas ao projetos de pesquisa em questão. Além disso, os suspeitos repassavam os valores para o coordenador de um dos projetos e realizavam pagamentos duplicados aos bolsistas.

Os alvos ainda usaram o dinheiro desviado para pagar por "bens supérfluos" e também para pagar o aluguel de um imóvel de luxo em Brasília.

Outro lado

Em nota ao Tecnoblog, a Finatec diz que a operação Klopês apura desvios de verba em dois projetos específicos, os com número "6422 e 6426". A instituição não dá detalhes sobre os objetos das pesquisas, ou quem seria o coordenador que recebeu o dinheiro.

Diz a Finatec, em nota:

A Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos - Finatec, na condição de fundação de apoio de IFES e ICT´s, esclarece que atua na gestão administrativa e financeira dos projetos de pesquisa, ensino e extensão de suas apoiadas, cabendo à estas o acompanhamento técnico, científico e acadêmico dos seus projetos. A Finatec mantém compromisso com a ética e integridade, tendo implementado o programa de governança corporativa e compliance procurando mitigar riscos de atuação e, principalmente, cumprir a legislação vigente.

Também em nota, a UnB afirma que a Finatec é uma instituição privada com a qual a universidade celebra contratos para gestão financeira e administrativa de seus projetos de pesquisa. A UnB atua no acompanhamento técnico, científico e acadêmico dos projetos de ensino, pesquisa e extensão.

Diz a UnB:

"A Universidade está à disposição das autoridades e da sociedade para prestar qualquer esclarecimento sobre projetos de ensino, pesquisa e extensão. A UnB é uma instituição de referência no Brasil e no mundo e preza pela ética e pela transparência com os recursos públicos."

A UnB esclarece que:

"A Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec) é uma fundação privada, com a qual a UnB celebra contratos para a gestão administrativa e financeira de seus projetos de pesquisa, ensino e extensão, conforme estabelecido na Lei 8.958/1994.

A Universidade atua no acompanhamento técnico, científico e acadêmico dos projetos de ensino, pesquisa e extensão. Desde 2017, a UnB tem aprimorado o acompanhamento e a gestão dos projetos de pesquisa, ensino e extensão, por meio de diversas ações, cabendo citar algumas:

a) o Conselho Universitário, órgão colegiado máximo da universidade, regulamentou a relação com as fundações de apoio e instituiu, em 2018, a Câmara de Projetos, Convênios, Contratos e Instrumentos Correlatos (Capro).
b) A Capro é um órgão colegiado que avalia, com bastante rigor, o mérito institucional e a prestação de contas de processos envolvendo celebração de instrumentos jurídicos - como convênios, contratos e termos de execução descentralizada (TEDs) - relativos aos projetos acadêmicos da Universidade de Brasília, incluindo projetos celebrados com as fundações de apoio.

A Universidade está à disposição das autoridades e da sociedade para prestar qualquer esclarecimento sobre projetos de ensino, pesquisa e extensão. A UnB é uma instituição de referência no Brasil e no mundo e preza pela ética e pela transparência com os recursos públicos."


Pronunciamento da UnB ao Tecnoblog

Finatec, instituição privada vinculada à UnB e que está dentro do Campus Darcy Ribeiro
Finatec, instituição privada vinculada à UnB e que está dentro do Campus Darcy Ribeiro
Foto: Raquel Aviani / UnB / Tecnoblog

Em posicionamento ao Tecnoblog, o CNPq informa que não foi notificado pela 10ª Vara Criminal Federal do DF sobre a operação da PF, e que nem a instituição e nem seus gestores são alvo da ação da polícia. Continua a nota do CNPq:

Dessa forma, só podemos nos manifestar quando tivermos informações sobre os projetos investigados. Os projetos apoiados pelo CNPq cumprem procedimentos legais e sempre que são identificadas inconsistências ou irregularidades, são tomadas as medidas cabíveis. O CNPq está à disposição para contribuir no que for necessário.

Operação da PF investiga desvio de verba em pesquisas do CNPq e da UnB

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade