PUBLICIDADE

O que é Docker? [Como funciona e as vantagens]

Docker é a forma de organizar softwares em conjuntos mais leves e portáteis que melhoram o teste e implantação de apps

21 jan 2022 18h47
| atualizado em 25/1/2022 às 16h50
ver comentários
Publicidade

Dividir a carga em contêineres é uma forma fácil e prática de organização de conteúdos, sejam nos portos ou em programação. Veja abaixo, o que é Docker e como funciona essa gestão de softwares a aplicações particionadas, quais serão as vantagens para o usuário no método baseado em contêineres?

O que é Docker?
O que é Docker?
Foto: Vitor Pádua/Tecnoblog / Tecnoblog

Índice

  • Docker além dos portos e docas
  • O que são contêineres?
  • Como funciona o Docker?
  • Vantagens 
  • Pontos de atenção

Docker além dos portos e docas

O Docker é uma plataforma de código aberto para criar, implantar e gerenciar aplicativos em contêiner. Ele permite que os desenvolvedores empacotem aplicativos em subpartes controladas — componentes executáveis padronizados que combinam o código-fonte do aplicativo com as bibliotecas do sistema operacional e as dependências necessárias para executar o código em qualquer ambiente.

No site oficial, estão disponíveis 4 versões do programa, sendo a Personal gratuita. Os contêineres simplificam a entrega de aplicativos distribuídos e se tornaram cada vez mais populares à medida que as organizações mudam para o desenvolvimento nativo da nuvem e ambientes híbridos.

Os desenvolvedores podem criar contêineres sem o Docker, mas a plataforma torna mais fácil, simples e seguro. Ele é essencialmente um kit de ferramentas que permite aos desenvolvedores lidarem com a técnica usando comandos simples e automação com economia de trabalho por meio de uma única API.

O que são contêineres?

Os contêineres são como unidades independentes de software que podem ser deslocados de um servidor para outro servidor, sendo executado da mesma forma, porque são isolados no nível do processo e possuem seu próprio sistema de arquivos.

Ao simplificar essa operação, o Docker rapidamente se aproximou de um padrão de fato no setor. O programa permite que os desenvolvedores implementem, repliquem, movam e façam backup de uma carga de trabalho de maneira simplificada. A base está no uso de um conjunto de imagens reutilizáveis para torná-las mais portáteis e flexíveis do que os métodos anteriores.

No mundo da máquina virtual (Virtual Machine - VM), isso pode ser feito mantendo os aplicativos separados enquanto são executados no mesmo hardware, mas cada VM requer seu próprio sistema operacional, o que significa que eles são geralmente grandes, lentos para inicializar, difíceis de movimentar e complicam a manutenção e atualização.

Onde os contêineres se destacaram na era da VM foi isolando ambientes de execução, enquanto compartilha o kernel do sistema operacional, fornecendo uma opção leve e rápida para os desenvolvedores.

Como funciona o Docker?

O Docker passou a ser reconhecido pelos desenvolvedores de software pois encontrou uma nova maneira de empacotar as ferramentas necessárias para criar um contêiner de uma maneira mais simplificada, pelo menos, do que era possível antes.

Dividido em partes componentes, o Docker inclui:

  • Dockerfile;
  • Imagens de contêiner;
  • Utilitário de execução do Docker;
  • Docker hub;
  • Docker engine;
  • Docker compose;
  • Docker desktop.
Visual inicial do Docker desktop no Windows
Visual inicial do Docker desktop no Windows
Foto: Leandro Kovacs/Reprodução / Tecnoblog

Dockerfile

Esse arquivo de texto fornece um conjunto de instruções para criar uma imagem do Docker, incluindo o sistema operacional, idiomas, variáveis ambientais, locais de arquivos, portas de rede e quaisquer outros componentes necessários para execução.

Docker image

Semelhante a um snapshot no mundo da VM (Virtual Machine), uma imagem do Docker é um arquivo executável portátil, somente leitura, que contém as instruções para criar um contêiner e as especificações para quais componentes de software o contêiner executará e como o fará.

Docker run utility

É o comando que inicia um contêiner. Cada contêiner é uma versão de uma imagem e várias versões da mesma imagem podem ser executadas simultaneamente.

Docker hub

É um repositório onde as imagens de contêiner podem ser armazenadas, compartilhadas e gerenciadas. Lembra o "GitHub" do Docker, mas focado em contêineres.

Docker engine

É a tecnologia cliente-servidor de base que cria e executa os contêineres. O Docker engine inclui um processo de daemon de longa execução chamado dockerd para gerenciamento de contêineres, APIs que permitem a comunicação de programas com o daemon do Docker e uma interface de linha de comando.

Docker compose

É uma ferramenta de linha de comando que usa arquivos YAML para definir e executar aplicativos Docker de vários contêineres. Ele permite que se crie, inicie, pare e reconstrua todos os serviços da configuração e visualize o status e a saída de log de todos os serviços em execução.

Docker desktop

Todas essas partes componentes são empacotadas no aplicativo desktop do Docker, fornecendo uma maneira fácil de criar e compartilhar aplicativos e micro serviços em contêineres.

Vantagens 

Os contêineres do Docker fornecem uma maneira de criar aplicativos que são mais fáceis de construir e alterar do que os métodos anteriores. Isso oferece várias vantagens para os desenvolvedores de software.

O Docker permite que os aplicativos e seus ambientes sejam mantidos limpos e mínimos, isolando-os, o que concede um controle mais granular (em pequenas partes) e maior portabilidade.

Os módulos distintos da ferramenta permitem a composição. Os contêineres facilitam para os desenvolvedores compor os blocos de construção de um aplicativo em uma unidade modular com partes facilmente intercambiáveis. Esse fato acelera os ciclos de desenvolvimento, lançamentos de recursos e correções de bugs.

O Docker é uma ferramenta que melhora o processo de programação e testes
O Docker é uma ferramenta que melhora o processo de programação e testes
Foto: Florian Olivo/Unsplash / Tecnoblog

Pontos de atenção

Resolve muitos problemas, mas não resolve todos os problemas do desenvolvedor. Não são máquinas virtuais. Ao contrário delas, os contêineres usam porções controladas dos recursos do sistema operacional do host, o que significa que os elementos não são tão estritamente isolados quanto seriam em uma VM.

Não fornecem velocidade "bare-metal". Eles são significativamente mais leves e mais próximos do metal do que as máquinas virtuais, mas resultam em alguma sobrecarga de desempenho. Se a carga de trabalho exigir velocidade "bare-metal", um contêiner o aproximará do resultado, mas não o levará até a conclusão do objetivo.

Os contêineres do Docker são imutáveis. São inicializados e executados a partir de uma imagem que descreve seu conteúdo.

Essa imagem é imutável por padrão. Mas, uma instância de contêiner é transitória. Quando removido da memória do sistema, desaparece para sempre. Se o usuário deseja que seus contêineres persistam no estado entre sessões, como faria uma máquina virtual, é preciso projetar para essa persistência.

Com essas informações já sabemos o que é o Docker e quais são as suas vantagens para os usuários programadores. Boa sorte.

Com informação: IBM, Info world.

O que é Docker? [Como funciona e as vantagens]

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade