0

Apple é acusada de usar filiais para evitar pagar bilhões em impostos

20 mai 2013
16h52
atualizado em 21/5/2013 às 07h48
  • separator
  • 0
  • comentários

A Apple vai defender uma reforma tributária abrangente perante uma subcomissão do Senado dos Estados Unidos na terça-feira, tornando-se a mais recente empresa de tecnologia a enfrentar questionamento sobre suas práticas fiscais offshore.

<p>Apple é a mais recente empresa de tecnologia a enfrentar questionamento sobre suas práticas fiscais offshore</p>
Apple é a mais recente empresa de tecnologia a enfrentar questionamento sobre suas práticas fiscais offshore
Foto: AFP

Uma investigação do Congresso americano apontou que a Apple, que se tornou a empresa mais rentável dos Estados Unifos, evitou pagar bilhões de dólares em impostos no país e ao redor do mundo através de uma rede de filiais. 

Segundo o relatório, a investigação descobriu três subsidiárias que não têm "residência fiscal" na Irlanda, onde elas estão incorporados, ou nos Estados Unidos, de onde executivos da Apple gerem essas empresas. A principal subsidiária, uma holding que inclui as lojas de varejo da Apple em toda a Europa, não pagou qualquer tipo de imposto nos últimos cinco anos. "A Apple tem explorado uma diferença entre irlandeses e regras de residência fiscal dos EUA", disse o relatório.

Em um depoimento divulgado um dia antes da fala do presidente-executivo da companhia, Tim Cook, diante do subcomitê permanente de investigações, a Apple disse que não se vale de "truques fiscais", como mover a propriedade intelectual para paraísos fiscais ou usar contas correntes nas Ilhas Cayman, e que vai pagar mais de US$ 7 bilhões em impostos dos EUA no ano fiscal de 2013..

Cook enfrentará perguntas dos legisladores sobre recursos de sua companhia no exterior e contas fiscais. As audiências no subcomitê focarão em como e por quê as companhias norte-americanas mantêm recursos no exterior para reduzir seu pagamento de impostos.

Funcionários da subcomissão do Congresso afirmaram nesta segunda-feira que a Apple não estava quebrando todas as leis e tinha cooperado plenamente com a investigação.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade