0

Polícia investiga racismo contra casal mineiro no Facebook

28 ago 2014
14h11
atualizado às 15h18
  • separator
  • comentários

A Polícia Civil busca os suspeitos de fazer comentários racistas contra um jovem casal de Muriaé, na Zona da Mata de Minas Gerais, ela negra e ele branco, depois de ela ter publicado uma foto de ambos no Facebook.

Se cadastrou no Facebook mas não quer continuar fazendo parte da rede social? Preparamos um tutorial que mostra um passo a passo que mostra como excluir sua conta (para que todos os seus dados sejam deletados definitivamente do serviço). Além disso, mostramos como você pode fazer para desativar sua conta. Assim, seus amigos não têm mais acesso à sua timeline, mas você pode voltar para o Facebook depois. Confira na galeria
Se cadastrou no Facebook mas não quer continuar fazendo parte da rede social? Preparamos um tutorial que mostra um passo a passo que mostra como excluir sua conta (para que todos os seus dados sejam deletados definitivamente do serviço). Além disso, mostramos como você pode fazer para desativar sua conta. Assim, seus amigos não têm mais acesso à sua timeline, mas você pode voltar para o Facebook depois. Confira na galeria
Foto: Reprodução

Doris, de 20 anos, e Leandro, de 18, namorados há um ano e oito meses, postaram uma selfie na rede social, que gerou 30 mil acessos e comentários diversos racistas. Os dois registraram queixa formal e pediram a abertura de investigação na 4ª Delegacia Regional de Muriaé. O delegado Eduardo Freitas da Silva informou à Agência Efe que pedirá ao Facebook os IPs dos computadores e celulares de onde foram feitas as agressões.

"Com o novo Marco Civil da internet, com o qual conta o País, se tornará mais fácil investigar os IPs dos acusados para poder investigar o caso em todo o País", explicou Silva.

Entre os comentários ofensivos estão frases como "onde comprou essa escrava?", "acho que você roubou o branco para tirar foto" e "me vende ela".

De acordo com o delegado, os ataques mais pesados partiram de outros Estados, em particular São Paulo. A jovem desativou sua conta, mas antes escreveu: "haverá racismo enquanto as pessoas não entenderem que por dentro somos todos iguais."

O delegado lembrou que o crime por injúria racial está no artigo 140, parágrafo terceiro do Código Penal, que prevê pena de um a três anos.

Entenda o que muda com o Marco Civil da Internet Entenda o que muda com o Marco Civil da Internet

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade