0

Polícia alemã investiga ciberataque contra rede ferroviária

13 mai 2017
09h31
  • separator
  • comentários

A Polícia Federal Criminal (BKA, sigla em alemão) da Alemanha assumiu a investigação do ciberataque que afetou ontem o sistema de computadores da companhia de trens do país, a Deutsche Bahn (DB), informaram neste sábado fontes do Ministério do Interior.

"Registramos ontem notáveis incidentes cibernéticos provocados pelos chamados 'ransomware'", informou o Ministério do Interior através de um comunicado, segundo o qual tais ataques incapacitaram os sistemas afetados, e os 'hackers' exigiram o pagamento de uma determinada quantia para restaurar seu funcionamento.

A BKA iniciou diligências contra esses ataques, segundo o Ministério alemão, depois que este explicitou que esta não é a primeira vez que manobras deste tipo são detectadas e indicou que os canais governamentais não foram afetados.

"Há boas notícias: o ataque não afetou as redes governamentais, o que demonstra que uma proteção altamente profissionalizada vale a pena", afirmou o Ministério do Interior, ao insistir na necessidade de atualização dos sistemas de computadores e que os mesmos sejam dotados de instrumentos capazes de repelir um ataque.

O comunicado do Ministério do Interior chega após o emitido durante a madrugada pela Deutsche Bahn (DB), que informava sobre "problemas no sistema" produzidos ontem por um "ataque com Cavalos de Troia" em sua rede.

Isso provocou alterações técnicas nos painéis de informação digitalizada em estações e em outros sistemas de aviso aos passageiros, mas não chegou a levar a "restrições no tráfego ferroviário", informou a companhia.

A DB está trabalhando para resolver esses problemas, mas acredita que, até a tarde deste sábado, possam acontecer novas alterações.

O ciberataque global de ontem afetou mais de 70 países, aproveitando uma vulnerabilidade do sistema operacional da Microsoft vazada aparentemente por um grupo de 'hackers' no mês passado.

Os ataques aproveitaram majoritariamente os sistemas operacionais desatualizados de empresas e instituições em todo o mundo, especialmente na Rússia, na Ucrânia e em Taiwan.

Entre os países afetados estão a Espanha e o Reino Unido, onde o funcionamento de dezenas de companhias estatais e hospitais sofreram interferências nesta sexta-feira.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade