0

Goatse: conheça a história do meme mais chocante da web 1.0

11 abr 2012
13h16
atualizado às 13h20

Se você já estava online lá pelo final dos anos 1990, deve ter visto o 'meme' mais perturbador - e duradouro - da história da internet: Goatse. É a imagem de nádegas masculinas bem separadas pelas mãos de um homem (que usa uma aliança), expondo o ânus. A foto é detalhada, tirada de muito perto. Tanto que, para descobrir afinal quem é o homem por trás da imagem que assombra internautas desde então, Adrian Chen, do site Gawker, chegou a comparar as verrugas da foto com as do homem que, segundo rumores, estaria retratado na imagem. "E sim, elas combinam", diz ele.

Quem acessa hoje o site goatse.cx encontra esta imagem e a mensagem do grupo que quer reativar a página
Quem acessa hoje o site goatse.cx encontra esta imagem e a mensagem do grupo que quer reativar a página
Foto: goatse.cx / Reprodução

"Todo mundo lembra do seu primeiro Goatse", diz Chen no artigo. "Lembro do horror depois de clicar no link que, entre rodadas de Counter Strike, me levou direto ao agora extinto site www.goatse.cx.", conta, acrescentando que a imagem é a 'propaganda enganosa' original na internet: um link prometia uma garota sem roupa, ou um cachorrinho fofinho, a pessoa clicava, e o que aparecia era Goatse.

Por chocante que fosse - ou talvez por isso mesmo - a foto virou inspiração, e apareceram centenas de imagens "no jeito goatse", além da original. A Gawker cita alguns marcos na história. Em novembro de 2000, Goatse foi exposta em uma tela no programa de Oprah Winfrey. No mesmo ano, um hacker direcionou o e-mail do site Yankees.com para o Goatse.cx depois que o time ganhou o World Series. Em 2005, o site do Los Angeles Times foi tirado do ar com apenas dois dias de operação, depois que "imagens explícitas conhecidas como Goatse apareceram nele". Durante uma transmissão da BBC, em 2007, um hacker trocou o logo de Londres 2012 por uma versão inspirada em Goatse. E em abril do ano passado, a Audi, sem querer, usou o estilo Goatse em uma campanha publicitária.

Goatse teve o auge da popularidade em meados da década de 2000 e depois desapareceu - o site, criado em 1999 por um grupo que desejava ter um lugar para postar suas brincadeiras e trollar à vontade, foi desativado em 2004, e se você clicar lá, vai encontrar a mensagem de um grupo que promete reativá-lo. Mas Goatse continua a ser o meme mais duradouro da web 1.0. Há camisetas e sites de homenagens, piadas e brincadeiras de todos os tipos, encontram-se fotos variadas no 'estilo goatse' - e quem andava pela web naquela época com certeza sabe do que se está falando.

Mas a história completa de Goatse não havia sido contada, e Chen, em duas semanas, confirmou a identidade do sujeito que é dono do traseiro mais famoso da internet. "Kirk Johnson", um profissional de destaque no ramo da "penetração extrema". Nos diversos perfis dele em sites pornôs, é descrito como um homem bissexual com entre 45 e 48 anos de idade, adepto do uso de enormes dildos negros. Em um site adulto de compartilhamento de imagens estão mais de 15 mil fotos dele, e seus vídeos no XTube já foram vistos mais de 22 milhões de vezes.

Conta Chen que por volta de 1997, uma coleção de 40 imagens de Johnson - incluindo a hoje conhecida como Goatse - chamada de Gap.zip começou a circular em comunidades pornôs gays na Usenet, rede de fóruns descentralizada, que reunia todos os esquisitos, geeks, amadores, trolls, pornografia, sem qualquer tipo de controle. "Esse verdadeiro caldeirão de conversas e imagens compartilhadas, no qual qualquer um podia criar um fórum dedicado aos seus interesses, foi o lugar ideal para algo como Goatse aparecer", diz Chen.

Então a história da imagem é traçada, saindo da Usenet pela ação de um grupo de amigos, a turma do Hick.org,que criou o site Goatse.cx, e começa a ganhar mundo. Chen conversou com especialistas em brinquedos sexuais, usuários da Usenet, geeks, fundadores do Hick e outros para ter certeza de apontar a identidade correta do 'homem goatse'.

Para além de uma foto escabrosa cercada de mistério, a história de Goatse (a reportagem de Chen pode ser lida, em inglês, pelo atalho tinyurl.com/cupq2bg) mostra um tempo em que a internet era menos patrulhada pelo politicamente correto e a trollagem era mais uma diversão do que qualquer outra coisa.

Fonte: Terra
publicidade