11 eventos ao vivo

Facebook pode prever se namoro vai dar certo ou acabar em 60 dias

29 out 2013
11h04
atualizado às 11h04
  • separator
  • comentários

Pesquisadores dizem ter criado um algoritmo capaz de prever, através do Facebook, se um namoro vai dar certo ou se o casal está prestes a terminar. Segundo o The Verge, o sistema funciona a partir de uma nova métrica, batizada de 'dispersão' (dispersion, em inglês).

A métrica dispersão se baseia na conexão entre pessoas que têm diferentes grupos de amigos. Amigos próximos têm maior propensão a ter muitos outros amigos em comum, o que cientistas sociais chamam de 'embeddedness' - nesse contexto, traduzível como 'superposição'.

Ponto grande circunscrito é o usuário analisado, conectado, no canto superior direito, a duas redes principais - por exemplo, amigos da faculdade e colegas de trabalho. No canto inferior esquerdo está o/a parceiro/a, conectado a algumas das pessoas da parte superior, mas majoritariamente sem muitos links em comum - segundo os pesquisadores, quando dois usuários têm muitos links em comum, é mais provável que sejam muito amigos do que que sejam um casal
Ponto grande circunscrito é o usuário analisado, conectado, no canto superior direito, a duas redes principais - por exemplo, amigos da faculdade e colegas de trabalho. No canto inferior esquerdo está o/a parceiro/a, conectado a algumas das pessoas da parte superior, mas majoritariamente sem muitos links em comum - segundo os pesquisadores, quando dois usuários têm muitos links em comum, é mais provável que sejam muito amigos do que que sejam um casal
Foto: Reprodução

Mas, em relações amorosas, a tendência é que se conectem a diferentes esferas. Por exemplo, o marido tende a apresentar a esposa aos colegas do trabalho, amigos da faculdade, e membros do time de futebol, com quem ela pode não ter nenhuma conexão em comum. Parentes podem estar sujeitos à mesma dinâmica de dispersão, segundo os pesquisadores - Jon Kleinberg, engenheiro de computação da Universidade de Cornall, nos Estados Unidos, e Lars Backstrom, pesquisador sênior do Facebook.

Os cientistas conseguiram identificar quem estava namorando quem em 60% dos casos, percentual bem maior que os 2% que tiveram adivinhando aleatoriamente. Altas taxas de dispersão, pelo algoritmo, parecem estar relacionadas a relacionamentos mais duradouros. O estudo mostrou que os casais têm 50% mais chance de terminar nos próximos dois meses se o algoritmo baseado na dispersão não conseguiu adivinhar quem namorava com quem.

Os pesquisadores ainda analisaram métricas como quantas vezes um usuário visualiza o perfil do outro, quantas vezes vão aos mesmo eventos, e as mensagens enviadas. A dispersão, mesmo assim, apareceu como o fator mais preciso para determinar relações amorosas. O estudo usou múltiplos kits de dados anônimos de 1,3 milhão de usuários do Facebook cujo status envolvia um relacionamento.

A pesquisa mostra o esforço que a maior rede social do mundo faz para transformar a quantidade massiva de dados de usuários que tem em algo que faça sentido e possa ser usado por marqueteiros. Um porta-voz do Facebook afirmou ao site americano, por outro lado, que a pesquisa "ajudou o time a pensar sobre coisas, e enfatizou algumas das funcionalidades usadas no ranking" de post do news feed, mas não afeta a forma como os posts são dispostos na linha do tempo do usuário.

<a data-cke-saved-href="http://tecnologia.terra.com.br/infograficos/usuarios-facebook/" data-cke-522-href="http://tecnologia.terra.com.br/infograficos/usuarios-facebook/">Tipos de usuários do Facebook</a>

<a data-cke-saved-href="http://tecnologia.terra.com.br/infograficos/sedes-da-tecnologia/iframe.htm" href="http://tecnologia.terra.com.br/infograficos/sedes-da-tecnologia/iframe.htm">veja o infográfico</a>
Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade