0

Entenda como apps usam os dados no Facebook e saiba como se proteger

A chegada do aplicativo Lulu fez muita gente estranhar o uso dos dados de usuários Facebook que nunca se cadastraram na plataforma. A prática, no entanto, está de acordo com a política de uso de dados da rede social

5 dez 2013
11h38
atualizado em 6/12/2013 às 11h40
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Foto: Terra

A chegada do aplicativo Lulu - que permite que mulheres avaliem seus amigos homens com o login do Facebook - balançou a internet brasileira nas duas últimas semanas. A promessa de um novo app que permitiria que homens fizessem a mesma coisa, o Tubby, esquentou ainda mais a discussão, com usuários de ambos os sexos querendo sair da brincadeira a qualquer custo. E a principal pergunta feita pelas pessoas no meio de toda essa polêmica nos últimos dias foi: "como eu apareço no Lulu se eu nunca criei uma conta no serviço?".

A resposta é simples, e consta na Política de Uso de Dados da rede social - que todo usuário concorda ao se cadastrar no serviço, marcando aquela caixinha que diz "eu li e aceito os termos". "Quando você acessa um jogo, aplicativo ou site – indo até o jogo, conectando-se a um site usando a conta do Facebook ou adicionando um aplicativo à sua linha do tempo – fornecemos a eles suas informações básicas, o qual inclui seu número de identificação de usuário e suas informações públicas. Nós também fornecemos a eles os números de identificação de usuário de seus amigos (também chamado de lista de amigo) como parte de suas informações básicas", dizem os termos do Facebook.

Isso quer dizer que, quando um amigo seu no Facebook se cadastra em um aplicativo de terceiro - seja ele o Instagram, o Foursquare, o Lulu ou até mesmo o Tubby, que ainda nem existe -, automaticamente suas informações públicas (nome de perfil, foto de perfil e lista de amigos) vão junto para esse app, mesmo que você nunca tenha o usado. Para conseguir outras informações além dessas - como fotos ou postagens, por exemplo, o app precisa pedir uma permissão específica. Mas por que isso acontece? "Sua lista de amigos ajuda o aplicativo a tornar sua experiência mais social porque permite encontrar seus amigos nesse aplicativo", justifica a rede social em sua política.

Como impedir que isso aconteça?
Durante esta semana, diversas dicas surgiram na internet ensinando o usuário a não aparecer nesses aplicativos. A forma mais fácil é se descadastrando desses serviços. O próprio Lulu possui um link de opt-out, que permite que um homem que não queira ser avaliado no aplicativo tenha o seu perfil excluído. Mas esse "descadastro" só é feito depois que um amigo levou suas informações públicas ao app.

A grande questão é saber como fazer para controlar que informações suas um amigo pode levar ao se logar com o Facebook em um aplicativo.

Nas configurações de privacidade do Facebook, o usuário pode controlar que informações divide com os aplicativos, até mesmo os acessados por amigos. Esses controles, porém, permitem apenas que o usuário limite o acesso a algumas informações, mas continua permitindo que sejam compartilhados os dados públicos - nome de perfil, foto de perfil e lista de amigos. É por isso que, apenas desmarcando essas caixas, o usuário não deixa de aparecer em aplicativos como o Lulu, mas apenas limita o acesso dos aplicativos a algumas informações - como data de nascimento, cidade natal ou preferência política, por exemplo.

Ao desmarcar as opções em "Aplicativos usados por outras pessoas", o usuário controla quais informações suas os amigos levarão a aplicativos de terceiros ao se cadastrarem em outro serviço. Esse controle inclui dados como biografia, fotos e preferência política. No entanto, os amigos vão continuar informando ao aplicativo as informações básicas - nome de perfil, foto de perfil e lista de amigos
Ao desmarcar as opções em "Aplicativos usados por outras pessoas", o usuário controla quais informações suas os amigos levarão a aplicativos de terceiros ao se cadastrarem em outro serviço. Esse controle inclui dados como biografia, fotos e preferência política. No entanto, os amigos vão continuar informando ao aplicativo as informações básicas - nome de perfil, foto de perfil e lista de amigos
Foto: Reprodução

Desativando a plataforma de aplicativos
Para que nenhuma informação do usuário seja levada a um aplicativo por um amigo, ele precisa desativar a plataforma de aplicativos do Facebook. "Se você quiser impedir completamente os aplicativos de obter suas informações quando seus amigos e outras pessoas os usarem, desative todos os aplicativos da Plataforma. Isso significa que você não poderá mais usar quaisquer jogos, aplicativos ou sites integrados do Facebook de terceiros", dizem as políticas da rede social.

A única forma de escapar de ter suas informações públicas - nome de perfil, foto de perfil e lista de amigos - compartilhadas por amigos que usam aplicativos é desabilitando a plataforma de aplicativos do Facebook
A única forma de escapar de ter suas informações públicas - nome de perfil, foto de perfil e lista de amigos - compartilhadas por amigos que usam aplicativos é desabilitando a plataforma de aplicativos do Facebook
Foto: Reprodução

Isso quer dizer que, para não ter nenhuma informação compartilhada, o usuário não vai poder usar nenhum aplicativo ou acessar nenhum site com suas informações da rede social. Ao desativar a plataforma, o usuário não poderá postar suas fotos do Instagram ou seus check-ins do Foursquare no Facebook, tampouco curtir conteúdos em sites ou fazer comentários em portais que usam o login do Facebook como forma de identificação. Isso somente para citar alguns exemplos.

<p>Com a plataforma de aplicativos do Facebook desativada, o usuário não pode acessar nenhum app ou site que use as credenciais do Facebook como identificação. Além disso, uma vez desativada a plataforma, todas as informações de aplicativos são excluídas. Caso o usuário se arrependa, terá que se cadastrar novamente em todos os serviços</p>
Com a plataforma de aplicativos do Facebook desativada, o usuário não pode acessar nenhum app ou site que use as credenciais do Facebook como identificação. Além disso, uma vez desativada a plataforma, todas as informações de aplicativos são excluídas. Caso o usuário se arrependa, terá que se cadastrar novamente em todos os serviços
Foto: Reprodução

Mas atenção: ao mesmo tempo que desativar a plataforma de aplicativos do Facebook protege o usuário de ter suas informações públicas compartilhadas com aplicativos que não usa, ele não poderá mais realizar ações simples na internet que necessitam das informações do Facebook. 

Ao desativar a plataforma, o usuário não consegue mais curtir conteúdos em sites ou comentar em portais que usam o Facebook como forma de login. A mensagem "ativar sites e aplicativos da plataforma" será recorrente durante a navegação do usuário na internet
Ao desativar a plataforma, o usuário não consegue mais curtir conteúdos em sites ou comentar em portais que usam o Facebook como forma de login. A mensagem "ativar sites e aplicativos da plataforma" será recorrente durante a navegação do usuário na internet
Foto: Reprodução

Além disso, ao clicar em "Desativar plataforma", todos os aplicativos em uso atualmente serão excluídos da lista. Se quiser voltar a usar esses aplicativos, o usuário deve voltar a se cadastrar em cada um deles.

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade