PUBLICIDADE

Denúncias vinculadas ao Tinder aumentam no Reino Unido

11 jan 2016 11h14
| atualizado em 12/1/2016 às 11h07
ver comentários
Publicidade

O número de supostos delitos que envolvem pessoas que usam redes sociais de encontros como Tinder e Grindr aumentou sete vezes em dois anos no Reino Unido, segundo a polícia britânica.

Foto: IdgNow!

Entre as denúncias, há casos de violação, assédio sexual a menores e tentativa de assassinato, o que levou alguns especialistas a pedirem às autoridades que lancem uma campanha para conscientizar sobre o perigo de falar com estranhos através destas páginas.

Segundo apontam, os usuários são vulneráveis à "extorsão sexual", e estes números podem representar "só a ponta do iceberg" do problema, já que muitas vítimas sentem medo ou vergonha de ligar para a polícia.

Em 2013, houve 55 denúncias na Inglaterra e no País de Gales relacionadas com o Grindr ou o Tinder, enquanto, em 2014, o número de acusações aumentou para 204, e para 412 em 2015 até o mês de outubro, segundo a polícia.

No ano passado, houve no total 277 casos nos quais a rede social Tinder foi mencionada, muito acima das 21 vezes do ano de 2013, e 135 nos quais falava-se do Grindr, em comparação com as 34 denúncias de 2013. Isso, como dito, apenas até outubro.

As acusações por delitos sexuais ou violentos foram os mais comuns, com 253 alegações de violência e 152 relatórios de crimes sexuais, incluídos assédio a menores, violação e exploração infantil.

Os números policiais provêm de denúncias nas quais estas aplicações foram citadas, mas não significa automaticamente que a plataforma fosse usada diretamente pelo acusado.

No entanto, há outros supostos casos documentados nos quais o delinquente é acusado de atuar de maneira direta através destes serviços de encontros.

O Conselho Nacional de Chefes de Polícia do Reino Unido encorajou as vítimas a denunciarem os ataques e buscarem apoio, e aconselhou aos usuários que não compartilhem informação pessoal com ninguém até que tenham certeza de com quem estão se comunicando.

EFE   
Publicidade
Publicidade