PUBLICIDADE

Intel lucra US$ 7 bilhões no 3º tri, mas escassez de chips deixa sua marca

Apesar de registrar lucro de US$ 7 bilhões no 3º trimestre de 2021, divisão de chips para PCs da Intel teve queda de receita

21 out 2021 20h59
ver comentários
Publicidade

A Intel divulgou, nesta quinta-feira (21), os seus resultados financeiros referentes ao terceiro trimestre de 2021. Embora os números apresentados não sejam nada ruins, o relatório pode ter deixado investidores com uma sensação de "faltou algo". Isso porque alguns fatores pesaram para que os números não fossem mais interessantes.

Chips Core de 11ª geração
Chips Core de 11ª geração
Foto: divulgação/Intel / Tecnoblog

A receita ajustada da companhia no período ficou em US$ 18,1 bilhões. O montante representa um aumento de 5% na comparação com o mesmo período de 2020, quando a arrecadação ficou em US$ 17,3 bilhões.

Para completar, a Intel viu o seu lucro por ação chegar a US$ 1,71, um feito interessantíssimo se levarmos em conta que os analistas previam um valor de US$ 1,11. Já o lucro líquido ficou em US$ 7 bilhões, alta de 54% em relação ao terceiro trimestre de 2020.

Esse resultado é efeito, em parte, do bom desempenho da Intel nos segmentos de soluções para internet da coisas e, principalmente, datacenters. No entanto, a sua principal divisão, a de computação para clientes (inclui o segmento de processadores para PCs), teve uma receita de US$ 9,7 bilhões, queda de 2% na comparação ano a ano.

A divisão de datacenters registrou uma arrecadação de US$ 6,5 bilhões, alta de 10% em relação ao mesmo período do ano anterior. Porém, analistas esperavam que esse valor ficasse em pelo menos US$ 6,6 bilhões.

Escassez de chips atrapalhou

Esses dois fatores podem ter deixado alguns investidores frustrados, talvez não pelos números em si, mas por preocupações quanto ao futuro. A Intel explicou a razão de o seu desempenho não ter sido melhor: a escassez global de chips fez o volume de notebooks vendidos cair no terceiro trimestre.

À CNBC, o CEO da Intel, Pat Gelsinger, explicou que muitas vezes o fabricante pode ter a CPU (que é fornecida pela Intel, obviamente), mas se depara com a falta de um chip para Wi-Fi, por exemplo. Na prática, essa situação faz a oferta de computadores diminuir.

Mas o executivo tratou de demonstrar otimismo. Gelsinger lembrou que a Intel vem investindo em uma mudança de foco, que inclui abrir novas fábricas e atuação no mercado de fabricação de chips para terceiros. "Ainda estamos nos estágios iniciais dessa jornada, mas vejo uma enorme oportunidade pela frente", completou.

Além disso, a Intel prevê uma receita ajustada de US$ 18,3 bilhões no quarto trimestre, contra uma estimativa de US$ 18,24 bilhões dos analistas.

Intel lucra US$ 7 bilhões no 3º tri, mas escassez de chips deixa sua marca

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade