2 eventos ao vivo

“Precisamos pensar em privacidade”, diz CEO da Microsoft

Em São Paulo para o AI+Tour, CEO da Microsoft falou sobre as perspectivas da inteligência artificial no Brasil

12 fev 2019
12h44
atualizado às 17h44
  • separator
  • comentários

No Brasil para palestrar no evento AI+Tour, o diretor-executivo da Microsoft, Satya Nadella, mostrou-se otimista com o desenvolvimento do País por meio da inteligência artificial, mas ponderou a respeito da garantia de direitos digitais, ratificando a importância de assegurar a privacidade dos dados pessoais de todos os usuários.

Satya Nadella, CEO da Microsoft​
Satya Nadella, CEO da Microsoft​
Foto: Arnd Wiegmann / Reuters

A diversidade de aplicações da inteligência artificial no ecossistema brasileiro de negócios surpreendeu o executivo. “Fico muito animado ao vir ao Brasil porque vejo como o brasileiro utiliza a tecnologia de maneira diferente”, afirma. Segundo Nadella, a importância nunca deve ser nas novidades tecnológicas em si, mas em como elas são utilizadas.

Desde 2016, a Microsoft tem investido em inteligência artificial, nos campos de tradução, leitura e reconhecimento visual, e suas tecnologias têm sido utilizadas de pequenas empresas até grandes corporações. É o caso de agricultores que utilizam drones para escanear o campo e otimizar a utilização de insumos, ou da instituição social AACD, que analisa os dados de seus pacientes e oferece um tratamento personalizado na fisioterapia.

Ao mesmo tempo em que a otimização e produtividade aumentam com a inteligência artificial, a demanda por privacidade de dados pessoais cresce junto. “Usar informações dos usuários de maneira ética vai se tornar cada vez mais importante na nossa sociedade”, diz Nadella. “Você precisa pensar em privacidade, e ter confiança na empresa e como ela pensa é o mais importante.” 

O CEO da Microsoft enalteceu o País por conta de seu pioneirismo na procura por fornecer segurança aos dados de seus cidadãos. “Nos termos de privacidade, o Brasil é um dos primeiros países a pensar em proteger suas pequenas empresas e consumidores, há leis que garantem isso aqui”, afirma. Nadella se referiu à Lei Geral de Proteção aos Dados Pessoais, aprovada com vetos pelo Senado Federal em agosto de 2018. 

O futuro, na visão de Nadella, é promissor e tecnológico para o Brasil. A perspectiva é de, nos próximos anos, democratizar o acesso aos mecanismos e dispositivos de inteligência artificial. “Isso tem que estar ao alcance de todos”, diz. “Todos precisam desenvolver suas habilidades de criação de software e traduzi-las para ações do cotidiano.” Segundo ele, esse é um importante passo para empoderar a sociedade brasileira e impactar positivamente o cenário econômico.

Veja também:

 

Fonte: Equipe portal

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade