PUBLICIDADE

WhatsApp Pay é confiável? Veja dicas de segurança

O lançamento do novo recurso será feito em etapas com um número limitado de usuários que ganharão a ferramenta de pagamento em seu app

10 mai 2021 16h07
ver comentários
Publicidade

Desde o último dia 4 de maio o WhatsApp relançou seus serviços de transferência de dinheiro entre pessoas físicas no Brasil, chamado de WhatsApp Pay, depois de ter sido bloqueado pelo Banco Central há quase um ano.   

O Brasil é o segundo País onde o serviço de mensagens lança a ferramenta de transferências de dinheiro. Na Índia, maior mercado do WhatsApp com 400 milhões de usuários, o Facebook obteve aprovação para iniciar os serviços financeiros em novembro.    

No entanto, o Banco Central ainda não deu sinal verde para que o WhatsApp lance pagamentos com lojistas.
No entanto, o Banco Central ainda não deu sinal verde para que o WhatsApp lance pagamentos com lojistas.
Foto: Alex Smith

Por meio de números de cartões de débito ou pré-pagos, os 120 milhões de usuários do aplicativo no Brasil  poderão enviar até R$ 5 mil por mês através do serviço gratuito de mensagens. A princípio, o sistema não permitirá que cada transação supere mil reais ou mais de 20 transferências por dia.    

O lançamento do novo recurso será feito em etapas com um número limitado de usuários que ganharão a ferramenta de pagamento em seu aplicativo. Com isso, eles poderão convidar novos usuários. Então, em breve, a opção do WhatsApp pay deverá aparecer em seu aplicativo.   

No entanto, o Banco Central ainda não deu sinal verde para que o WhatsApp lance pagamentos com lojistas, serviço que deve ser pago, e que adicionará uma nova linha de receita para o WhatsApp.  

E para entender melhor como isso vai funcionar e também dar dicas para que os usuários tenham maior segurança ao utilizar essa nova ferramenta, conversamos com o especialista em segurança digital, Jéferson Campos Nobre, professor do Instituto de Informática da UFRGS. Assista no Terra Inovação abaixo:

WhatsApp Pay é confiável? Veja dicas de segurança:

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade