PUBLICIDADE

'Unicórnio' britânico que usa IA para avaliar danos em carros chega ao Brasil

Dona de um sistema de inteligência artificial, Tractable inicia operação brasileira após receber um aporte de US$ 60 milhões

17 jun 2021 17h01
ver comentários
Publicidade

A startup britânica Tractable, que usa inteligência artificial (IA) para ajudar seguradoras a agilizarem o processo de reparo de carros após acidentes, anuncia nesta quinta-feira, 17, um aporte de US$ 60 milhões - com o novo cheque, a empresa afirma que atingiu o status de unicórnio (avaliação de US$ 1 bilhão). Além de turbinar a tecnologia e investir em mais produtos, parte dos novos recursos será usada para abrir uma operação no Brasil.

A rodada, que foi liderada pela Insight Partners e pela Georgian, faz o total de investimento já recebido pela startup saltar de US$ 55 milhões para US$ 115 milhões. Fundada em 2014, a Tractable atua hoje em 13 países - ao todo, possui cerca de 20 seguradoras parceiras, entre elas nomes como Geico, Ageas e Sompo Japão.

Usando visão computacional, a startup acelera a avaliação de danos em acidentes de veículos. A IA reconhece sem auxílio humano quais partes do carro foram danificadas e calcula os custos do reparo - a startup afirma que processa milhões de sinistros por ano na parte de seguros de automóveis.

"A partir da filmagem do carro, a IA consegue identificar quais partes do veículo estão danificadas e calcular o custo do reparo", explica ao Estadão o brasileiro Bruno Ferreira, que é head mundial de vendas na Tractable. "Com essa tecnologia, em vez de esperar um mês pelo reparo do carro (e todo o processo do veículo ir para oficina para ser feito o orçamento) aceleramos o processo para uma semana".

A ideia faz sentido: uma das aplicações mais poderosas de inteligência artificial atualmente é o reconhecimento de imagens. Os sistemas são expostos a milhares de imagens sobre o mesmo assunto até que passa a reconhecer automaticamente aquilo que é exibido.

Segundo Ferreira, a IA da Tractable foi desenvolvida pela própria empresa. Para treinar o sistema, a startup fez inicialmente parcerias com provedores de soluções para seguradoras e também contou com a ajuda das seguradoras parceiras, que disponibilizaram imagens de carros danificados. Em um segundo momento, as próprias fotos processadas pela Tractable nos sinistros passaram a ser usadas para deixar a IA mais potente.

Com o novo aporte, o plano é continuar a aperfeiçoar a tecnologia e ir além dos carros. Uma das áreas em que a startup aposta é a de casas: atualmente, a Tractable mantém um projeto no Japão para ajudar a recuperar propriedades mais rapidamente após furacões, por meio da avaliação de fotos por IA.

Expansão

A Tractable também anunciou nesta quinta que está chegando ao Brasil. A empresa começará a operação no País ao lado de seus clientes globais que operam por aqui - mas conversas com seguradoras locais também já começaram, diz Ferreira.

"É um mercado com alta quantidade de sinistros e o brasileiro gosta de novas tecnologias. Já começamos a fazer recrutamento em São Paulo e devemos começar a operar no segundo semestre", afirma o head mundial de vendas na Tractable.

Primeiro, a empresa vai trabalhar no País na recuperação de acidentes de carro. Mas não deve parar por aí: "É possível também usar a tecnologia de identificação de danos em veículos na locação de carro e vallet, por exemplo. E, na parte de residências, há problemas de ventania no Sul do Brasil - se estragou a telha da sua casa, você pode tirar uma foto e nosso sistema identifica o custo do reparo", diz Ferreira.

Estadão
Publicidade
Publicidade