0

Startup que oferece 'psicólogo virtual' recebe US$ 2 milhões

Investimento na TNH Health, que mantém um chatbot de saúde mental, foi liderado pela Valor Capital

1 out 2019
05h11
atualizado em 2/10/2019 às 09h57
  • separator
  • 0
  • comentários

A startup de saúde TNH Health anunciou nesta terça, 1, que recebeu um investimento de US$ 2 milhões liderado pelo fundo americano Valor Capital Group - participaram também da rodada os fundadores da rede de laboratórios SalomãoZoppi, a Vidalink e Maria Health Partners. A Valor é o fundo que ajudou a Stone a abrir capital em Nova York e serviço corporativo de academias Gympass a fazer sua expansão internacional para 14 países.

A TNH desenvolve um assistente virtual chamado Viki, que conversa sobre temas ligados à saúde mental, como ansiedade, estresse, depressão e qualidade do sono - é possível utilizar o 'psicólogo virtual gratuitamente no Facebook Messenger. "Esse dinheiro vai ajudar a aprofundarmos nosso produto, expandir nossos negócios para o mundo corporativo e crescer nossa base de usuários no Brasil", diz ao Estado Michael Kapps, cofundador da empresa.

Fundada em 2013, a empresa tem um time de 30 pessoas, divididos entre Joinville (SC) e São Paulo, que desenvolve a inteligência artificial da Viki - o investimento ajudará a ampliar o conteúdo e a capacidade de oferecer respostas da ferramenta.

"O que mais nos impressionou na TNH é capacidade de engajamento da ferramenta, que consegue transmitir informações importantes para a saúde do indivíduo", diz Michael Nicklas, sócio da Valor Capital. O executivo diz acreditar que esse seja apenas o primeiro investimento da Valor na TNH. "Temos mais planos caso eles atinjam determinadas metas", diz ele.

Michael Kapps, cofundador da startup TNH Health, que recebeu investimento de US$ 2 milhões da Valor Capital
Michael Kapps, cofundador da startup TNH Health, que recebeu investimento de US$ 2 milhões da Valor Capital
Foto: TNH Health/Divulgação / Estadão

Apesar de poder ser acessada gratuitamente por qualquer pessoa no Messenger, a TNH mira como fontes de receita o mercado corporativo - operadoras de saúde e outras empresas que pretendem oferecer o psicólogo virtual para clientes e funcionários. A expansão da ferramenta para o setor público também é vista com bons olhos pela startup e pela Valor. A TNH está no processo de fechar um contrato com a cidade de Baltimore, EUA, para oferecer a assistente, além de manter conversas com governos da região Nordeste do País.

Para a companhia, porém, é importante manter a versão gratuita da ferramenta. É com os dados gerados por essa base de usuários que a companhia consegue aperfeiçoar a inteligência artificial da plataforma.

Aporte importante

Apesar de baixo quando comparados a outros investimentos em startups brasileiras, o investimento na TNH é um dos maiores aportes do ano feito em healthtechs do País. "Temos olhado para o setor de saúde há muito tempo, mas não havíamos encontrado um ativo interessante ainda, pois é um setor fragmentado e que tem questões regulatórias", diz Nicklas.

A TNH começou como um chatbot de saúde básica e evoluiu para uma ferramenta de monitoramento de grávidas e pacientes crônicos, como diabéticos. A dificuldade da regulamentação de telemedicina, que permite consultas à distância, incentivou a migração para o segmento de saúde mental, que tem questões regulatórias mais resolvidas.

"Fazemos tudo o que o médico não faz. O médico não liga para dar apoio emocional ou para lembrar de tomar remédio. Focamos em orientação, o que é permitido", diz.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade