0

Startup instala painéis solares em favelas no Rio de Janeiro

Além da geração de energia limpa e renovável, intenção do projeto é conscientizar moradores sobre sustentabilidade

14 dez 2015
09h59
  • separator
  • 0
  • comentários

No início de 2016, a creche “Mundo Infantil” na favela de Santa Marta, no Rio de Janeiro, receberá a instalação de painéis solares para redução de gastos com energia elétrica. A iniciativa é da Insolar, empresa de cunho social fundada no Rio de Janeiro. “Nosso objetivo é democratizar o acesso à energia solar no Brasil, começando por comunidades cariocas pacificadas”, explica Henrique Drumond, administrador de 32 anos e fundador da empresa.

A Insolar quer instalar painéis solares em favelas cariocas
A Insolar quer instalar painéis solares em favelas cariocas
Foto: iStock

De acordo com Henrique, o projeto da Insolar surgiu do desejo de conciliar sua vivência no mundo empresarial com sua experiência em ONGs. “Passei a maior parte da minha vida em setores corporativos, até que decidi sair da empresa onde trabalhava e tirei um ano sabático, quando fiz trabalho voluntário em Moçambique durante três meses”, relata.  “Notei, então, que seria importante casar a visão empresarial, de profissionalismo, e direcionar essa competência em prol de algo que gerasse um impacto positivo no campo social e ambiental”.

Transformando a ideia em realidade

Para que as boas intenções virassem um projeto sólido, foi necessária uma longa jornada. No final de 2013, Henrique e seu sócio, o economista Michel Baitelli, participaram da primeira “Maratona de Negócios Sociais”, promovida pelo Sebrae. Foi a oportunidade de maturar a ideia e colocá-la no papel.

Em 2014, foram aceitos no programa “Iniciativa Jovem”, promovido pela petrolífera Shell no Brasil para a capacitação de projetos de jovens empreendedores. “Essa experiência foi fundamental para que pudéssemos preparar um plano de negócios para empresa”, conta Drumond.

Chegou, então, o momento de buscar fontes de financiamento. A financeira carioca Sitawi, especializada no fomento de negócios sociais, aceitou bancar um projeto piloto da Insolar para a instalação de painéis fotovoltaicos em alguma comunidade do Rio de Janeiro. Após sondagens e conversas com moradores, a creche na favela de Santa Marta foi a escolhida. “A ‘Mundo Infantil’ tem um valor simbólico muito grande para a comunidade, já que foi fundada há cerca de 30 anos por moradoras do local para que elas tivessem um local para deixar os filhos quando saíam para trabalhar”, justifica o administrador.

O projeto prevê, além da instalação dos painéis solares para a redução da conta de energia, a substituição de todas as lâmpadas da creche por modelos de LED, que têm consumo energético menor e maior durabilidade. O Sebrae também vai oferecer três oficinas para os moradores da comunidade com o objetivo de alertá-los sobre a importância da sustentabilidade e, de quebra, expor oportunidades de negócios ligados ao tema.

Para que a Insolar continue forte após a conclusão do projeto piloto, foi necessário diversificar as fontes de financiamento. A empresa recebeu aporte do Consulado da Alemanha. Também venceu uma chamada pública promovida pela Light, distribuidora de energia da cidade do Rio de Janeiro.

Em dezembro deste ano, a empresa recebeu outro importante apoio logístico e financeiro. Foi o primeiro projeto no mundo a receber suporte do Shell #makethefuture, programa global de incentivo a startups que promovem fontes de energia limpas e renováveis.

Futuro próximo

Uma vez terminada a instalação dos painéis solares na creche em Santa Marta, a empresa vai buscar parceiros para a ampliação do projeto. A ideia é que as parcerias viabilizem a colocação gratuita de painéis em instituições filantrópicas e comunitárias de favelas cariocas. “No caso de estabelecimentos comerciais, como mercados e lavanderias, pretendemos abordar seus proprietários e bancar a instalação dos painéis. Depois, cobraríamos um pequeno percentual da economia de energia gerada mensalmente”, explica Drummond.

Paralelamente, Henrique Drummond e Michel Baitelli  apostam em outro negócio, mais uma vez em parceria com a natureza.  Eles pretendem lançar no próximo ano guarda-sóis munidos de painéis solares para fazer a recarga de celulares e outros gadgets.

Fonte: Cross Content
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade