PUBLICIDADE

Repressão da China faz criptomoedas caírem US$ 1 tri

País asiático responde por até 70% do suprimento global para a mineração de criptomoedas, como o bitcoin

26 mai 2021 16h10
| atualizado às 16h11
ver comentários
Publicidade

As criptomoedas despencaram ao longo da semana passada, com uma queda de cerca de US$ 1,3 trilhão em seus preços combinados depois que Pequim intensificou a repressão à mineração e ao comércio de bitcoins, atingindo as moedas digitais em meio a uma maior análise regulatória global.

Essa foi a primeira vez que a China teve como objetivo a mineração de moeda virtual, um negócio que é relevante na segunda maior economia do mundo e que, segundo algumas estimativas, responde por até 70% do suprimento global de criptomoedas.

Essa é a primeira vez que a China teve como objetivo a mineração de moeda virtual.
Essa é a primeira vez que a China teve como objetivo a mineração de moeda virtual.
Foto: Dado Ruvic / Reuters

Com isso, mineradores de criptomoedas interromperam toda ou parte de suas operações na China. Como reflexo, uma bolsa de criptomoedas chamada Huobi suspendeu nesta segunda-feira a mineração e alguns serviços comerciais para novos clientes da China.

E o BTC, um pool de mineração de criptomoedas, também anunciou a suspensão de seus negócios no país alegando riscos regulatórios, enquanto a mineradora de criptomoedas HashCow disse que iria parar de comprar novas plataformas de mineração de bitcoin.

A proteção ao investidor e a lavagem de dinheiro são preocupações específicas dos reguladores financeiros globais que estão tentando decidir se e como devem regular a indústria de criptomoedas.

O último abalo nas moedas digitais também se deve a um escrutínio mais rígido nos Estados Unidos. Na quinta-feira passada, o chair do Federal Reserve dos EUA, Jerome Powell, disse que as criptomoedas representam riscos para a estabilidade financeira e indica que uma maior regulamentação da moeda eletrônica cada vez mais popular pode ser necessária.

As criptomoedas usam computadores especialmente projetados e cada vez mais poderosos, ou plataformas, para verificar as transações de moedas virtuais em um processo que produz criptomoedas recém-cunhadas, como o bitcoin.

O bitcoin sofreu uma forte correção após a última mudança chinesa e agora está quase 50% abaixo de seu máximo histórico. No domingo, chegou a cair 17%, dia em que o ether também atingiu um valor mínimo em dois meses.

Enquanto isso, no Brasil, o Banco Central divulgou as diretrizes que devem ser adotadas no potencial desenvolvimento de uma moeda digital brasileira emitida pelo próprio BC, com previsão de uso em pagamentos de varejo.

E open banking é uma novidade que deverá chegar em breve no País, no dia 15 de julho. para saber mais, assista ao Terra Bytes desta semana!

Repressão da China faz criptomoedas despencarem:

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade