1 evento ao vivo

Reforma é aposta de startups de compra e venda de imóveis

Empresas como Loft e Keycash já têm explorado o mercado; já o Grupo Zap testa o modelo em São Paulo

26 jun 2019
05h11
atualizado às 10h22
  • separator
  • 0
  • comentários

Enquanto o Quinto Andar está de olho em reformas para aquecer o mercado de locação, diversas startups têm utilizado a mesma tática para comprar e vender imóveis. Fundada em agosto do ano passado pela dupla Mate Pencz e Florian Hagenbuch, ambos da gráfica online Printi, a Loft usa dados para entender a avaliação correta dos imóveis em um bairro e oferecer "preços justos" para quem deseja se desfazer dos ativos.

Depois disso, a empresa faz uma reforma padronizada e revende o apartamento. A iniciativa foi apoiada por fundos americanos como o Andressen Horowitz, levando a empresa a ser avaliada em R$ 1,5 bilhão. Por enquanto, a empresa está apenas em bairros como Jardins, Itaim e Vila Nova Conceição, mas a meta é estar em 12 regiões da cidade até o fim do ano.

Startup Loft
Startup Loft
Foto: Reprodução Instagram

Perímetro semelhante é coberto pela Keycash, liderada por Paulo Humberg - pioneiro da internet do Brasil, ele criou o e-commerce Shoptime nos anos 1990. A empresa levantou US$ 10 milhões e tem negociado apartamentos na faixa de R$ 500 mil a R$ 1 milhão - um pouco abaixo do que tem feito a Loft.

As duas terão em breve um rival de peso: o Grupo Zap, tradicional site de imóveis, também decidiu entrar no negócio de reformas. "A ideia é fazer o dinheiro rodar mais rápido", diz Lucas Vargas, presidente executivo do Grupo Zap. Até agora, a empresa reformou quatro apartamentos - até o fim do ano, quer chegar a centenas.

Veja também

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade