0

Nubank, BB, iFood e Rappi chegam ao Google Assistant

Novidade permite que usuário faça transferência bancária, consulta de saldo e pedido de refeição por comando de voz

4 dez 2019
05h11
atualizado às 09h38
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A partir desta quarta-feira, 4, o assistente de voz Google Assistant vai começar a conhecer marcas como Banco do Brasil, Nubank, iFood e Rappi. Usuários brasileiros destas marcas poderão requisitar que o assistente faça uma transferência bancária, consulte o saldo ou até mesmo peça uma refeição, a partir de comandos de voz.

Para utilizar a novidade, basta ter os aplicativos parceiros instalados no celular e seguir o padrão de comando do Google Assistente, iniciando a ação com "Ok, Google". Por exemplo, se você deseja acompanhar o status do seu pedido no iFood ou no Rappi, basta falar "Ok Google, acompanhar meu pedido no iFood/Rappi", e a tela será automaticamente direcionada para a área específica do aplicativo. Da mesma forma, também será possível realizar pedidos através do comando de voz.

O assistente de voz Google Assistant vai começar a conhecer marcas como Banco do Brasil, Nubank, iFood e Rappi
O assistente de voz Google Assistant vai começar a conhecer marcas como Banco do Brasil, Nubank, iFood e Rappi
Foto: Flickr/Maurizio Pesce

Para os apps financeiros, a novidade permite fazer transferências bancárias, consultas de saldos de conta e faturas de cartão de crédito e pagamentos. O comando "Ok Google, quero ver o saldo no Banco do Brasil/Nubank" é uma das frases que agora poderão ser ditas pelos usuários.

"Ao permitir a realização de ações específicas dentro de aplicativos, esperamos que o Google Assistente facilite processos corriqueiros, deixando a vida das pessoas ainda menos complicada, e mais conveniente. Essa é nossa visão de futuro", diz Walquiria Saad, líder de parcerias de produto para o Google Assistente no Brasil, por meio de nota divulgada à imprensa.

A nova função inicia sua atividade com quatro empresas das áreas financeiras e delivery, mas a intenção é que o serviço seja ampliado também para outros segmentos."Em um primeiro momento, contamos com esses quatro parceiros, mas reforçamos que é uma tecnologia aberta, na qual qualquer desenvolvedor de aplicativos no sistema Android poderá implementar em seus serviços", conta Walquiria.

*É estagiária, sob supervisão do editor Bruno Capelas

Veja também

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade