PUBLICIDADE

iFood entra no mercado de benefícios e lança cartão de VA e VR

Cartão de vale-alimentação e vale-refeição poderá ser administrado em novo aplicativo dedicado da startup

15 jun 2021 17h03
ver comentários
Publicidade

Juntando-se ao disputado setor de benefícios, que já tem nomes em rápida expansão como Caju e Vee, o iFood anuncia nesta terça-feira, 15, um cartão de vale-refeição e vale-alimentação (os conhecidos VA e VR), com bandeira Elo e passível de ser utilizado tanto nos 270 mil restaurantes e mercados parceiros do iFood, quanto nos 4 milhões de estabelecimentos que aceitam a Elo.

Batizado de iFood Benefícios, o cartão poderá ser administrado por um novo aplicativo dedicado, no qual o usuário pode receber o valor do benefício, e no app de entregas do iFood, onde poderá ter o saldo associado à sua carteira digital. Na hora da compra, o usuário escolhe se quer utilizar o cartão de benefícios ou outra forma de pagamento. A tecnologia por trás do serviço será da fintech gaúcha paySmart, que, para dar mais segurança contra fraudes e roubo, usa uma solução de tokenização, que permite "duplicar" virtualmente o cartão, com um número diferente no aplicativo e na versão física.

"Queremos que o colaborador use o benefício de VA e VR da maneira que faça sentido para ele e com autonomia", conta ao Estadão a diretora do iFood Benefícios, Paula Rabelo. "Trazemos uma plataforma digital simples, em que o usuário em um único aplicativo faz a gestão do seu benefício ou do seu saldo. Ele escolhe se quer usar no delivery, se quer ir no estabelecimento ou se quer usar como meio de pagamento".

iFood entra no mercado de benefícios, já disputado pelas startups Caju e Vee
iFood entra no mercado de benefícios, já disputado pelas startups Caju e Vee
Foto: Divulgação/iFood / Estadão

Além disso, o iFood não cobrará taxas de pequenas e médias empresas, que costumam ter dificuldades para oferecer aos trabalhadores benefícios desse tipo devido a custos elevados. Da ponta do usuário, também não há taxas. O objetivo, diz Paula, é outro: "No fim do dia, o que estamos fazendo é trazer mais usuários para o ecossistema do iFood."

Para Luciana Lima, professora de planejamento estratégico e de pessoas do Insper, a estratégia do iFood é extremamente competitiva porque, além de ser prático para o usuário administrar a carteira em um aplicativo, a startup já lança a solução com um mercado pronto, com os restaurantes e mercados parceiros da empresa e os estabelecimentos físicos que aceitam Elo. "O iFood faz o que se chama de desenho de estratégia de ecossistema: constrói uma rede imensa e vai desenvolvendo produtos e parcerias específicos. Já existe uma escalabilidade pronta e rápida."

Estadão
Publicidade
Publicidade