0

Ex-Uber, Travis Kalanick levanta US$ 400 mi para startup de cozinha colaborativa

Chamada de Cloudkitchens, empresa permite que cozinheiros aluguem espaços para fazer refeições para entrega, tal como no WeWork; aporte é liderado por fundo saudita e tem sido criticado

7 nov 2019
16h46
  • separator
  • 0
  • comentários

O ex-presidente executivo do Uber, Travis Kalanick, está de volta ao mercado: ele é o principal investidor da Cloudkitchens, uma startup de cozinhas colaborativas - a ideia é que cozinheiros de aplicativos de refeições a domicílio aluguem espaços para seu trabalho, em um modelo semelhante ao do We Work. Nesta quinta-feira, 7, o Wall Street Journal disse que o negócio está crescendo rapidamente, tendo recebido uma rodada de US$ 400 milhões do fundo soberano da Arábia Saudita, conhecido pela sigla PIF.

O aporte tem sido bastante criticado nos Estados Unidos: isso porque o fundo soberano da Arábai Saudita está ligado ao governo local, responsável por assassinar o jornalista americano Jamal Khashoggi no ano passado. Desde então, investidores e empresas no Vale do Silício tem reconsiderado seus laços com o fundo soberano árabe - que tem outro de seus principais investimentos no Uber, cofundado por Kalanick.

Segundo o Wall Street Journal, a Cloudkitchens teria recebido o aporte em janeiro deste ano. Em seu site, a empresa descreve suas operações como "apoio a outros restaurantes" com cozinhas otimizadas para pedidos de delivery, com clientes como as populares marcas nos EUA Halal Guys e Fat Sal's Deli.

O aspecto curioso sobre a empresa, que é comandada por Kalanick, é que ela vai bater de frente com o antigo negócio do empreendedor, o Uber. A divisão de entrega de comidas da empresa, o Uber Eats, também está investindo para transformar áreas vazias como estacionamentos em cozinhas colaborativas e espaços para entrega de comida. O cenário se torna ainda mais curioso pois Kalanick ainda tem um assento no conselho do Uber. Outro deles pertence a Yasir Al-Rumayyan, diretor do fundo soberano da Arábia Saudita.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade