PUBLICIDADE

Apple vai monitorar fotos de abuso infantil no iCloud

Usuários de iPhone que tiverem imagens de abuso infantil conectadas ao servidor do iCloud serão denunciados às autoridades

11 ago 2021 16h02
ver comentários
Publicidade

A Apple anunciou na última quinta-feira, 5, que adotará um sistema para verificar fotos em iPhones nos Estados Unidos para identificar se elas coincidem com imagens conhecidas de abuso infantil antes de serem enviadas para o iCloud.

Se este tipo de imagem for detectada no envio ao serviço, a Apple iniciará uma revisão humana e denunciará o usuário automaticamente às autoridades.

Apple vai vasculhar fotos de usuários do iCloud.
Apple vai vasculhar fotos de usuários do iCloud.
Foto: Brendan McDermid / Reuters

A ferramenta vai comparar as fotos enviadas para o iCloud com aquelas armazenadas em um arquivo gerenciado pelo Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas, uma empresa privada dos Estados Unidos que combate a exploração sexual de crianças.

A empresa disse que programou a atualização para um lançamento no final de 2021, junto com o upgrade do iOS 15, como parte de uma série de mudanças que a empresa planeja implementar para proteger as crianças de abusadores sexuais. 

Porém, a iniciativa reacendeu o debate sobre criptografia de dados e privacidade, e trouxe a preocupação de que essas novas tecnologias possam ser utilizadas por governos ou hackers para outros fins.

O criptógrafo da Universidade Johns Hopkins, Matthew Green, escreveu em sua rede social que esse tipo de iniciativa pode ser muito útil para encontrar pornografia infantil nos celulares das pessoas, mas fez a ressalva do que este serviço poderia fazer nas mãos de um governo autoritário.

"Independente de a Apple estar certa ou errada, este sistema abre a porteira para que governos exijam a instalação dele para todos", acrescentou o pesquisador.

Defensores da privacidade e especialistas em segurança digital também argumentaram que o sistema poderá ser eventualmente expandido para bisbilhotar aparelhos em busca de conteúdo genérico considerado como ilegal ou que tenha conteúdo político.

Um dia após o anúncio, Will Cathcart, chefe do WhatsApp, disse que a empresa vai se recusar a adotar o software, alegando que a novidade apresenta uma série de questões jurídicas e de privacidade.

Em seu twitter, o chefe do WhatsApp afirmou que tomou conhecimento da informação que a Apple divulgou e está preocupado, pois acredita que essa abordagem é errada e um revés para a privacidade das pessoas em todo o mundo. 

E acrescentou que quando é perguntado se o WhatsApp irá adotar esse sistema, afirma que a resposta é não.

A Apple, porém, afirmou que vai ficar contra os pedidos de governos. "Enfrentamos antes exigências para criarmos e lançarmos mecanismos pedidos por governos que prejudicam a privacidade dos usuários e temos recusado tais demandas. Vamos continuar recusando no futuro", disseram representantes da empresa à Reuters.

Para saber os detalhes, assista ao Terra Bytes dessa semana!

Apple lança sistema em busca de fotos de abuso infantil:

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade