7 eventos ao vivo

Houston, a Starship pousou! (com direito a cena pós-créditos)

Outro dia, outro teste. Desta vez o protótipo SN10 da Starship da SpaceX conseguiu pousar, o que foi excelente. Por alguns minutos

5 mar 2021
18h24
atualizado em 27/3/2021 às 06h08
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Você deve estar achando que é falha na Matrix, como é possível ouvirmos a mesma ladainha com a Starship, que ouvimos com o Falcon 9, e mesmo com o Falcon 1? Mas é verdade, a mídia e a brigada "Nada pode ser feito pela primeira vez" está com a força toda, mesmo sendo negada por seu maior inimigo: A Realidade.

Up Up and Away!
Up Up and Away!
Foto: SpaceX / Meio Bit

No longínquo (mesmo, estamos ficando velhos) ano de 2006 quase ninguém deu atenção quando uma empresa que parecia um capricho de um gringo gago esquisito dono da Paypal anunciou que lançaria um satélite.

Para surpresa de pouca gente o primeiro lançamento do Falcon 1, 24/3/2006 não deu certo. Nem o segundo, nem o terceiro, 3 de Agosto de 2008. Sim, nessa época a cadência deles era quase tão lenta quanto da a Virgin ou da Blue Origin.

Nessa época, um monte de gente chamava Musk de irresponsável, e garantia que não daria certo nunca. Ele mesmo tinha suas dúvidas, e o dinheiro estava no fim. Em verdade só dava pra bancar mais um lançamento.

Em 26 de Setembro do mesmo ano, um Falcon 1 colocou em órbita uma carga simulada de 165Kg, validando o design e abrindo as portas da SpaceX para futuros contratos, ao mesmo tempo em que captaram toneladas de investimentos, abrindo caminho pro desenvolvimento do Falcon 9 e da cápsula Dragon.

Falcon 9 esse que voou pela primeira vez em 2010, no dia 4 de Junho. Foi feito um teste de recuperar o foguete usando pára-quedas, mas não funcionou.

Em Dezembro o segundo Falcon 9 também foi bem-sucedido, lançando a primeira cápsula Dragon, que entrou em órbita corretamente, e depois amerissou com sucesso. O Falcon, de novo, não conseguiu pousar, ele se desintegrou antes de conseguir abrir os pára-quedas

Dali em diante a SpaceX percebeu que precisaria religar os motores e manobrar o Falcon 9 para o pouso, o que foi tentado algumas vezes, funcionou mais ou menos em algumas, com o foguete pousando na água, mas o PRIMEIRO pouso bem-sucedido foi o 20º lançamento, em 22 de Dezembro de 2015. Na balsa só pousaram em 8 de Abril de 2016.

O tempo todo a mídia, especialmente a não-especializada era unânime: SpaceX estava jogando dinheiro fora. Capitães da indústria zoavam Elon Musk, explicando que eles tinham décadas à frente de empresas espaciais e se fosse fácil pousar um foguete, eles já teriam pousado.

Bem, hoje é tão comum a SpaceX pousar o primeiro estágio do Falcon 9 que quando raramente ela não consegue, todo mundo reclama, mesmo sem perceber que ela é a única empresa do mundo fazendo isso.

Enter Sandman, digo Starship

A Starship é a mudança radical da SpaceX, que quer uma nave 100% reutilizável. Ela é o segundo estágio, junto com o foguete Superheavy, que será o primeiro e também está em construção.

Para surpresa de muita gente a SpaceX é o contrário da concorrência, e por isso ela é atacada. Estamos acompanhando ao vivo e a cores cada passo da construção de uma nova nave espacial, vendo cada motor que chega, cilindros sendo soldados, flaps instalados.

Tradicionalmente as empresas trabalham escondidas, só divulgam os momentos de sucesso. A Blue Origin tem um lindo vídeo do New Shepard aonde a cápsula pousa perfeitamente e termina sem comentarem que o foguete se espatifou.

Isso é lindo, quase nem dá pra culpar quem acha que é CGI.
Isso é lindo, quase nem dá pra culpar quem acha que é CGI.
Foto: SpaceX / Meio Bit

A ULA só mostra os foguetes depois de prontos. A Rocket Lab, por mais simpática que seja, também regula suas imagens. Outra, a Astra, se não me engano lança do Alaska pra não ter ninguém xeretando.

Já a Starship, está ali, em Boca Chica, Texas (em breve Starport) para todo mundo ver, e meninos, eu vi. Todos vimos. Desde o primeiro teste, com a Starhopper, a trapizomba mais feia e desajeitada que já voou nesse mundão sem porteira, até o primeiro vôo dos protótipos SN5 e SN6, a 150m de altura, uma cara e complicada forma de provar que com propulsão suficiente até uma caixa d'água pode voar.

O primeiro vôo de verdade, a 12,5Km de altitude foi com o protótipo SN8, em 9 de Dezembro de 2020. Foi emocionante e demonstrou algo que -de novo- diziam ser impossível: Descer em vôo planado (ok, caindo com estilo) estabilizado e reverter para um pouso vertical. Infelizmente um problema de pressurização fez com que o protótipo se esfarelasse lindamente com precisão no local de pouso.

O segundo vôo foi mais interessante ainda. Em 2 de Fevereiro de 2021 (olha a cadência!) a Starship SN9 subiu como planejado até 10Km de altitude, desligando progressivamente cada um dos três motores até pairar sobre Boca Chica. Assumindo posição de descida, ela planou corretamente até o momento em que acionaria dois motores, assumiria posição vertical, reduziria bastante a velocidade de descida, cortaria um motor e pousaria.

Não foi o que aconteceu. Um dos dois motores não "'pegou", a nave demorou demais a realizar a manobra, a velocidade vertical ficou alta demais e... cabum.

No Twitter um sujeito perguntou a Elon Musk por quê eles não acionavam TRÊS motores, assim se um falhasse teriam redundância, e com os motores acionados era só escolher um para desligar e realizar a manobra normalmente. A resposta de Musk foi honesta e perfeita:

"Pq somos burros".

A sugestão foi prontamente incorporada ao modelo de vôo, e em menos de um mês foi a vez da Starship SN10, lançada 3 de Março de 2021, subindo a 10Km de altitude e pela primeira vez na História, pousando com sucesso!

O modelo está validado, agora é refinar os detalhes, Marte está cada vez mais próximo.

Tango, digo, Nave Down

Claro, o pouso não foi perfeito, em vídeos em qualidade 4K dá pra ver claramente que metade das pernas da Starship não travaram, e o pouso foi bem violento, o suficiente para romper tubulações de combustível, e alguns minutos depois do pouso, isto aconteceu:

Antes de tudo, calma. Não foi um revés, foi um bônus. Essa nave jamais voaria de novo, os danos no pouso foram grandes demais, a estrutura estava comprometida, e de qualquer jeito essa Starship já estava obsoleta.

A cada lançamento a SpaceX testa novas ligas, técnicas e equipamentos. Um que já havia sido descartado antes do vôo é o trem de pouso. Eles sabiam que não era adequado, mas não faz sentido adiar testes enquanto projetam o trem de pouso ideal, se o teste, mesmo perdendo a nave pode validar vários outros parâmetros.

Neste momento os protótipos SN11 e SN15 já estão quase prontos, a linha de montagem de motores Raptor está cada vez mais rápida e o primeiro protótipo do SuperHeavy está encaminhado.

É normal perder protótipos no começo, ninguém nunca disse que exploração espacial era fácil, mas o surpreendente mesmo é como pela primeira vez a SpaceX está fazendo exploração espacial parecer... rápida.

Houston, a Starship pousou! (com direito a cena pós-créditos)

Veja também:

LG abandona mercado de smartphones
Meio Bit
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade