PUBLICIDADE

Filha trans de Elon Musk pretende cortar laços legais com o bilionário

Mau relacionamento com o pai está entre os fatores que levaram Vivian Jenna Wilson a abandonar o sobrenome do homem mais rico do mundo

21 jun 2022 19h41
ver comentários
Publicidade

Vivian Jenna Wilson quer cortar os laços legais com o pai, o bilionário Elon Musk. Segundo o site TMZ, Vivian apresentou ao Tribunal Superior do Condado de Los Angeles, em Santa Monica, a petição para a mudança de nome no último mês de abril, logo após completar 18 anos.

Segundo o site, Vivian optou pela mudança por duas razões. A primeira é que ela está abandonando o nome masculino dado no nascimento e dizendo que quer ser identificada pelo gênero feminino. A segunda é a relação com o pai, o que estaria explicitado na petição: "Não vivo e nem quero ter qualquer relação com o meu pai biológico, de qualquer jeito ou forma". Está marcada para a sexta-feira 24 uma audiência em tribunal na Califórnia.

Vivian é irmã gêmea de Griffin e a mais velha das seis crianças que o bilionário teve com a escritora canadense, Justine Wilson. O primeiro filho do casal, Nevada, nasceu em 2002 e morreu de Síndrome da Morte Súbita Infantil (SIDS) antes de completar um ano. O relacionamento do casal durou de 2000 a 2008, quando se divorciaram.

Justine postou em seu Twitter na segunda-feira 20 o diálogo que teve com a filha: "Eu tive uma infância estranha. Não posso acreditar que sou tão normal quanto pareço", diz Vivian. "Eu estou muito orgulhosa de você", responde a mãe. "Eu estou orgulhosa de mim mesma", a jovem completa.

Musk tem mais dois filhos com a ex-namorada e cantora canadense Grimes, o X Æ A-Xii, de 2 anos, e a menina Exa Dark Sideræl, de 7 meses. As crianças são chamadas de X e Y, respectivamente. No dia dos pais, que nos EUA aconteceu no último final de semana, o bilionário tuitou dizendo que ama muito todos os seus filhos.

Musk ainda não se manifestou a respeito da decisão de Vivian. Entretanto, ele já tuitou, em 2020, dizendo que "pronomes são uma droga" e depois completou declarando apoio às pessoas trans, mas enfatizando que os pronomes são um "pesadelo estético''.

Estadão
Publicidade
Publicidade