0

Falha na câmera do Android permitia gravação sem autorização

A brecha de segurança expôs os celulares de centenas de milhares de usuários; Google e a Samsung afirmaram que o problema já foi resolvido

19 nov 2019
17h11
atualizado às 17h24
  • separator
  • 0
  • comentários

Uma falha de segurança em aparelhos Android deixou vulnerável a invasões o aplicativo de câmera do Google, usado por diversas fabricantes em seus celulares. Por meio dessa brecha, criminosos poderiam tirar fotos, gravar vídeos e armazenar arquivos sem o consentimento dos usuários.

O problema foi descoberto pela empresa de segurança Checkmarx, que concluiu que a falha afetou celulares do Google (da linha Pixel), da Samsung e possivelmente outros modelos que usam o sistema operacional Android - isso significa que milhões de usuários ficaram expostos à brecha. O Google e a Samsung afirmaram que o problema já foi resolvido.

Android 10 começou a ser liberado nesta terça, 3 
Android 10 começou a ser liberado nesta terça, 3
Foto: Google/Divulgação / Estadão Conteúdo

Os pesquisadores da Checkmarx descobriram que, com determinadas ações e manipulações, atacantes conseguiriam acessar o aplicativo de câmera dos celulares Android. "Descobrimos que em alguns cenários de ataques seria possível acessar o armazenamento do aparelho, dando acesso a vídeos e fotos do dispositivo, assim como metadados de GPS inclusos em fotos", disse a empresa, em comunicado. Além disso, criminosos poderiam localizar os usuários tirando fotos e vídeos pelo aplicativo.

Segundo a Checkmarx, a brecha permitiu que criminosos tirassem fotos e gravassem vídeos, mesmo quando a tela do celular estava bloqueada. "Nossos pesquisadores conseguiram fazer a mesma coisa inclusive quando o usuário estava no meio de uma ligação de telefone", disse a empresa.

O Google considerou a brecha de segurança como "altamente invasiva". Em comunicado, a empresa disse: "Agradecemos a Checkmarx por chamar nossa atenção. O problema foi solucionado em dispositivos do Google afetados por meio de uma atualização da Play Store".

A Samsung também prestou esclarecimentos. "Desde que fomos notificados sobre esse assunto pelo Google, estamos disponibilizando correções para atender a todos os modelos de dispositivos da Samsung que podem ter sido afetados", afirmou a empresa. Para garantir que seu smartphone não será afetado, basta atualizá-lo para as últimas versões disponíveis do sistema operacional Android e também do app de câmera da empresa.

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade